Tropas iranianas atacam bases curdas no Iraque

Forças da Guarda Revolucionária do Irã tomaram o controle de três bases de um grupo curdo da oposição, no vizinho Iraque, informaram hoje agências de notícias iranianas.

AE, Agência Estado

18 de julho de 2011 | 12h36

A agência Irna citou o coronel Delavar Ranjbarzadeh, um comandante local da poderosa Guarda Revolucionária, ao dizer que um "grande número" de combatentes curdos do grupo PEJAK foram mortos em combates durante os últimos dois dias. Segundo as notícias, os confrontos, que acontecem em território iraquiano, prosseguem.

"Três bases em território iraquiano davam auxílio aos terroristas. Todas as bases caíram nas mãos das forças iranianas", disse Ranjbarzadeh à Irna. Segundo ele, os combatentes do PEJAK tiveram uma "derrota histórica e pesada".

Já o PEJAK afirma que as tropas iranianas entraram em território do Curdistão iraquiano, uma região semiautônoma, onde o grupo foi agredido. Eles afirmam que mataram 53 soldados iranianos e feriram outros 43, enquanto apenas dois guerrilheiros do PEJAK foram mortos e 7 feridos nos choques.

Na semana passada, o Irã ameaçou atacar as bases do PEJAK no Curdistão iraquiano, após ter acusado o presidente da região semiautônoma curda, Massoud Barzani, de prover bases para o grupo sem informar o governo central iraquiano em Bagdá.

O PEJAK, cuja sigla em curdo significa "Partido de um Curdistão Livre", tem se envolvido em confrontos esporádicos contra as forças iranianas nos últimos anos. Os insurgentes lutam por maiores direitos para a minoria dos curdos iranianos.

O Irã acusa os Estados Unidos, Israel e a Grã-Bretanha de incitarem a tensão entre suas populações curdas, que vivem perto das fronteiras com o norte do Iraque e a Turquia, para minar o governo central de Teerã. Os países negam as acusações. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãcurdosIraqueconflito

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.