Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Tropas israelenses confiscam US$ 1,5 milhão na Cisjordânia

Tropas de Israel confiscaram U$ 1,5 milhão na manhã desta quarta-feira, em apreensões realizadas em casas e escritórios de câmbio na Cisjordânia. Os militares afirmaram que o dinheiro vinha do Irã e era destinado para grupos extremistas palestinos.Ao menos oito escritórios de câmbio e um banco foram destruídos em buscas nas regiões de Nablus, Jenin, Talkarem e Ramallah. As tropas israelenses também prenderam dois homens que mantinham pistolas em suas casas.Os valores chegavam até a Cisjordânia por intermédio de grupos como o Hamas, a Jihad Islâmica e o Hezbollah, com bases nos territórios palestinos, o Líbano e Síria, segundo os militares. De acordo com o Exército, o dinheiro era usado na construção de explosivos e carros-bomba.O Ministro da Economia palestino em exercício, Samir Abu Eisheh, disse que o confisco teve por objetivo restringir as atividades econômicas nos territórios palestinos. "A operação é mais uma medida do governo israelense para imobilizar economicamente o povo palestino", afirmou. Mohammed Assar, um cambista que trabalha em Jenin, disse que tropas israelenses levaram US$ 250 mil de seu negócio. "Eles me tiraram de casa e me forçaram a abrir a porta e entregar tudo que tinha", contou Assar. Sob sanções internacionais, o governo palestino, liderado pelo grupo radical islâmico Hamas, não paga o salário dos seus 165 mil funcionários desde março deste ano. Por isso, muitos palestinos estão vivendo de empréstimos bancários e transferências de familiares que vivem fora do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.