Tropas israelenses deixam a Faixa de Gaza

As tropas de Israel que operavam na Faixa de Gaza se retiraram na madrugada deste domingo e retornaram às suas bases antes da entrada em vigor do cessar-fogo proposto na noite de sábado pelas facções palestinas dessa região autônoma, informou a rádio pública israelense. As tropas tinham iniciado suas operações com diferentes graus de intensidade contra as facções armadas palestinas, após o seqüestro em uma base militar do soldado Guilad Shalit, em 25 de junho, por comandos palestinos. Pouco antes do começo do cessar-fogo, milicianos palestinos não identificados dispararam quatro d foguetes Qassam contra o povoado israelense de Sderot, embora sem deixar feridos. Duas das facções palestinas, o braço armado do Jihad Islâmico e a milícia de Abu Rish, grupo dissidente do movimento nacionalista Fatah, disseram que não suspenderão seus ataques enquanto o Exército israelense permanecer em Gaza. O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, tinha prometido ao presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, na noite de sábado, que retiraria as tropas que operavam no norte da faixa, onde no último dia 8, por um erro segundo as autoridades militares, causaram a morte de 19 palestinos, a maioria deles mulheres e crianças, ao bombardear a localidade de Beit Hanoun. A retirada das forças israelenses do norte, de onde os milicianos costumam disparar seus foguetes, aconteceu em um tempo curto e sem Incidentes. Segundo a emissora israelense, todas as tropas, com um número relativamente pequeno de combatentes, abandonaram a Faixa de Gaza, onde mais de 200 palestinos morreram desde o início das operações de resgate do soldado Shalit e as que tentavam impedir o lançamento dos foguetes Qassam contra a população civil no sul de Israel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.