Tropas israelenses saem de reduto do grupo xiita

As tropas israelenses se retiraram neste sábado, 29, da cidade libanesa de Bint Jbail, perto da fronteira com Israel, mas poderão voltar, anunciou uma fonte militar. A Rádio Israel citou um comandante israelense afirmando que a ofensiva contra Bint Jbail, reduto do Hezbollah, fora planejada para durar três dias e que o Exército não pretendia ocupar a cidade - onde morreram 18 soldados israelenses na semana passada.No 18º dia de guerra, pelo menos 12 pessoas - incluindo uma mulher e seus cinco filhos - morreram no sul do Líbano em ataques israelenses. Dois indianos da força de paz das Nações Unidas ficaram feridos.Mísseis israelenses caíram perto de Masnaa, a principal travessia entre Líbano e Síria, motivando o primeiro fechamento da fronteira desde o início do conflito.Israel rejeitou um pedido da ONU de uma trégua de três dias para permitir a entrega de ajuda e a retirada de civis. Ao todo, pelo menos 470 libaneses já morreram. Algumas estimativas falam em 600.Do lado israelense, 33 militares e 19 civis já morreram. Hoje, o líder do Hezbollah, Hassan Nasrallah, disse que o grupo disparará mais foguetes contra o centro de Israel se a ofensiva continuar. "Afula é só o começo", disse, referindo-se à cidade israelense mais distante do Líbano já atingida pelo Hezbollah.Soldados feridosDois soldados da ONU foram feridos quando um avião de Israel atingiu a região próxima da base das Nações Unidas na fronteira com o sul do Líbano.Os dois soldados do batalhão da Índia, pertencente a Força Interina das Nações Unidas no Líbano, foram moderadamente feridos em conseqüência do impacto da bomba que caiu na vizinhança do vilarejo de Adaisseh, confirmou um porta-voz da ONU. Os feridos foram levados a um hospital da força da ONU na cidade de IBL Saq. A base foi danificada.Fronteira fechadaMísseis israelenses atingiram um posto policial libanês na principal área de fronteira do Líbano com a Síria fechando a fronteira entre os dois países, em ambas direções, pela primeira vez nestes 18 dias de conflito entre Israel e o grupo terrorista Hezbollah.Jatos israelenses dispararam três mísseis que atingiram a região de Masnaa, a cerca de 300 metros dentro da Síria, informaram fontes militares. Autoridades israelenses consideraram que a área faz parte do território libanês.A passagem tem sido uma rota de fuga de milhares de libaneses que, depois do bombardeio de Israel às pistas do aeroporto de Beirute, já nos primeiros dias de ataque, procuram deixar o país por terra.Carregamentos de ajuda humanitária conseguiram chegar ao Líbano, por via aérea e marítima. Os suprimentos deve auxiliar os milhares de civis que tiveram de deixar suas casas por causa dos ataques israelenses contra o Hezbollah.Ajuda Aviões militares decolaram do Egito e da Jordânia com remédios e alimentos para as vítimas, e uma terceira aeronave saiu dos Emirados Árabes Unidos com 40 toneladas de comida. Por via marítima, um catamarã norte-americano saiu do Chipre e chegou ao porto de Beirute com 20 mil cobertores, lonas e equipamentos de emergência médica.Em Dubai, quatro emissoras de televisão se uniram na sexta-feira em uma campanha que conseguiu arrecadar US$ 13 milhões dos telespectadores, que serão destinados às vítimas do conflito no Líbano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.