Tropas japonesas ficarão mais um ano no Iraque

O governo japonês aprovou um plano para manter suas tropas no Iraque por mais um ano. O primeiro-ministro Junichiro Koizumi, que apoiou a invasão americana do Iraque, argumentou que a medida é necessária para ajudar a estabilizar o país árabe e combater o terrorismo. A decisão já era esperada, apesar de pesquisas de opinião mostrarem que muitos japoneses são a favor do retorno dos soldados para casa.A missão das tropas do Japão terminaria no próximo dia 14. Tóquio tem 550 homens no sul do Iraque. Koizumi enviou os soldados ao Iraque em janeiro, na missão militar japonesa mais importante desde a Segunda Guerra Mundial.Em Seul, o Parlamento sul-coreano não conseguiu votar hoje o plano do governo para estender por mais um ano a missão militar do país no Iraque. A Coréia do Sul possui 3.600 no país árabe. O impasse político ocorre um dia depois de o presidente sul-coreano, Roh Moo-hyun, ter retornado de uma visita surpresa ao norte do Iraque para incentivar os soldados engajados na reconstrução do país.Cerca de 80 parlamentares, a maioria deles do partido governista Uri, questionaram a decisão do governo e pediram a realização de um debate de última hora antes do fechamento da sessão ordinária da Assembléia Nacional. A oposição boicotou a sessão e o debate não chegou a ocorrer.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.