Tropas paquistanesas matam 60 supostos insurgentes

As forças de segurança paquistanesas, utilizando helicópteros e artilharia, mataram pelo menos 60 supostos insurgentes na região noroeste do Paquistão, informaram hoje autoridades locais. A operação tinha como objetivo atacar refúgios de membros do grupo extremista Al-Qaeda e do movimento radical Taleban, segundo o anúncio oficial paquistanês.A ofensiva foi precedida de intensa pressão dos Estados Unidos sobre o Paquistão, para que combata os rebeldes. Os extremistas são acusados de cometer ataques em território paquistanês e também contra as forças da coalizão internacional, no vizinho Afeganistão.A iniciativa ocorre três dias após um atentado com caminhão-bomba contra um luxuoso hotel em Islamabad, que deixou pelo menos 53 mortos. Posteriormente foi divulgado pelo governo que o presidente Asi Ali Zardari e o primeiro-ministro Yousaf Raza Gilani jantariam no local, mas haviam mudado de idéia e por isso escaparam do ataque.Os enfrentamentos entre rebeldes e tropas paquistanesas começaram ontem. Pelo menos 50 supostos insurgentes, além de um soldado, morreram na região de Kohat, que margeia zonas de tribos semi-autônomas do país. Perto dali, na região tribal de Bajur, as forças de segurança mataram pelo menos 10 rebeldes, em uma operação ainda em andamento.Alguns funcionários acreditam que o ataque de sábado no Hotel Mariott pode ter sido uma resposta às operações em Bajur, que ocorrem desde o início de agosto. Segundo o Exército, já morreram 700 supostos milicianos nesses confrontos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.