Tropas sírias tomam controle de reduto rebelde

Tropas sírias invadiram neste domingo, 19, o centro de Qusayr, um reduto rebelde na província de Homs, e tomaram o controle da principal praça e do edifício do governo municipal, anunciou uma fonte militar. A ofensiva das forças do governo contra Qusayr contou com o apoio de tanques e aviação. A cidade situa-se na região central da Síria, perto da fronteira com o Líbano.

AE, Agência Estado

19 de maio de 2013 | 19h09

Ativistas contrários ao governo disseram que a ofensiva resultou na morte de pelo menos 52 pessoas e que a população se escondeu em porões e casamatas improvisadas para se proteger dos bombardeios.

Tropas do governo sitiavam Qusayr havia semanas. As forças regulares sírias estão em campanha para recuperar o controle de uma série de cidades próximas da fronteira com o Líbano tomadas por rebeldes ao longo de mais de dois anos de guerra civil.

O Observatório Sírio pelos Direitos Humanos, grupo contrário ao governo sediado em Londres, informou que havia 48 combatentes rebeldes, um homem e três mulheres civis entre os 52 mortos na ofensiva. É possível, no entanto, que o número aumente, uma vez que o governo continua a avançar para assegurar o controle total de Qusayr.

Apesar dos relatos e das mortes, Hadi Abdullah, um ativista contrário ao governo, negou os avanços das forças regulares sobre a cidade.

Em outros incidentes ocorridos neste domingo, dois atentados suicidas deixaram três mortos e 15 feridos em Deir Balbaa, nos arredores da cidade de Homs, capital da província de mesmo nome. Em outro ponto da província, duas bombas detonadas em uma estrada deixaram quatro mortos e 13 feridos, segundo fontes no governo e a agência estatal de notícias Sana.

Mais de dois anos de guerra civil na Síria já deixaram mais de 70 mil mortos e forçaram mais de 1,5 milhão de sírios a se refugiarem em países vizinhos, segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU). As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Síriatropasrebeldes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.