Ludovic Marin / AFP
Ludovic Marin / AFP

Trudeau, Macron e May querem colocar todas as meninas do mundo na escola até 2030

Líderes anunciaram que a Aliança Global para a Educação se beneficiará de um fundo de US$ 2,5 bilhões, com contribuições dos três países e também dos Emirados Árabes, Noruega e Holanda

O Estado de S.Paulo

26 Setembro 2018 | 06h37

NAÇÕES UNIDAS - Os líderes do Canadá, Justin Trudeau, da França, Emmanuel Macron, e do Reino Unido, Theresa May, se comprometeram nesta terça-feira, 25, na ONU, em colocar todas as meninas do planeta na escola até 2030, especialmente na África, onde ainda existem muitos obstáculos para sua escolarização.

"Hoje, há 130 milhões de meninas que não vão à escola no mundo", destacou a primeira-ministra britânica enquanto participava de uma conferência na Assembleia-Geral da ONU com o presidente francês e o premiê canadense.

Os três dirigentes anunciaram que a Aliança Global para a Educação se beneficiará de um fundo de US$ 2,5 bilhões, com contribuições dos três países e também dos Emirados Árabes, Noruega e Holanda.

Reveja: Michelle Obama lança fundo para meninas

A associação, lançada em 2002, age em cerca de 60 países em desenvolvimento para fortalecer as estruturas de educação. "É um enorme desafio", declarou Macron, "porque 440 milhões de crianças africanas deverão estar escolarizadas" até 2030.

Destacando que 63% dos adultos analfabetos no mundo são mulheres, o presidente francês admitiu que ainda restam muitos "obstáculos" para a escolarização das meninas, da pobreza à gravidez, da violência sexual às normas sociais que "seguem sendo restritivas". / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.