Mandel Ngan/AFP
Mandel Ngan/AFP

Trump acusa China de ter encoberto pandemia do novo coronavírus

O presidente dos EUA e Secretário de Estado, Mike Pompeo, afirmara também que a pandemia teria começado em um laboratório chinês em Wuhan

Redação, O Estado de S.Paulo

04 de maio de 2020 | 10h00

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acusou o governo da China de ter cometido um "erro horrível" em sua resposta ao novo coronavírus e de orquestrar um encobrimento que permitiu que o vírus se espalhasse pelo mundo. A declaração do presidente, dada durante uma entrevista à rede de TV Fox News nesse domingo, 3,  representa um novo passo na escalada de tensões envolvendo EUA e China no contexto da pandemia.

"Minha opinião é que eles cometeram um erro. Eles tentaram encobrir, tentaram apagar. É como um incêndio", disse Trump. "Sabe, é como tentar apagar um incêndio. Eles não conseguiram apagar o fogo."

Trump, que tem sofrido fortes críticas por lidar com a crise, também divulgou as últimas acusações de membros de seu governo que culpam a China pela criação e disseminação do vírus. "Vamos apresentar um relatório muito sólido sobre exatamente o que achamos que aconteceu", disse Trump. "E acho que será muito conclusivo."

O secretário de Estado Mike Pompeo foi ainda mais explícito, dizendo, no domingo, que o coronavírus se originou em um laboratório de pesquisa em Wuhan, China, onde o vírus apareceu pela primeira vez.

Essa versão entra em conflito com o julgamento da maioria dos virologistas e das agências de inteligência dos EUA, que afirmam que o vírus "não foi criado pelo homem ou modificado geneticamente".

Em entrevista à rede de TV americana ABC, Pompeo, afirmou que há uma "enorme quantidade de provas" de que a pandemia do novo coronavírus foi originada em um laboratório de Wuhan, na China, onde começou a propagação da doença. No entanto, o próprio secretário disse concordar que o vírus não foi criado pelo homem nem modificado geneticamente.

As teorias não são excludentes: alguns funcionários que examinaram os relatórios de inteligência, que permanecem restritos, dizem que é possível que um animal infectado com o coronavírus no laboratório tenha sido destruído e que um funcionário do laboratório tenha sido acidentalmente infectado no processo. Mas essa é apenas uma das muitas teorias ainda sendo examinadas. A China negou anteriormente que o vírus se originou em um laboratório.

O editor-chefe do Global Times, um tabloide nacionalista controlado pelo Partido Comunista Chinês, condenou o governo dos EUA por fazer acusações sem apresentar provas. "Não basta dizer que há enormes evidências, Pompeo deve apresentá-las ao mundo", escreveu o editor, Hu Xijin, no Twitter. "Ao exigir a investigação do laboratório de Wuhan, eles estão tentando criar controvérsia e foco contínuos, para enganar o público americano".

A agência de notícias estatal chinesa Xinhua divulgou um vídeo animado com figuras semelhantes a Lego representando os dois países que zombam da resposta dos Estados Unidos ao vírus. A China conseguiu conter a evolução da doença no país após adotar medidas severas de confinamento. No entanto, especialistas em saúde pública criticaram Pequim por reter informações e agir tarde demais.

Não é apenas o governo Trump que tem criticado cada vez mais a China. O principal correspondente diplomático do The New York Times para a Europa, Steven Erlanger, relata que uma reação em todo o mundo está se construindo contra Pequim por seu manuseio inicial da crise, criando uma batalha profundamente polarizada de narrativas e atrasando a ambição da China de preencher o vácuo de liderança deixado pelo Estados Unidos./ NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.