Spencer Platt / Getty Images/  AFP
Spencer Platt / Getty Images/ AFP

Trump afirma que o dinheiro usado para silenciar amantes veio dele

O presidente dos EUA desmentiu o seu ex-advogado, Michael Cohen, que afirmou na Justiça que o dinheiro usado para pagar duas mulheres com quem ele teve um caso extraconjugal seriam da campanha presidencial de 2016

O Estado de S.Paulo

22 Agosto 2018 | 16h41

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou nesta quarta-feira, 22, que o dinheiro usado para pagar pelo silêncio de duas mulheres com quem teve relações sexuais veio de seu próprio bolso, e não da campanha eleitoral republicana, como afirmou na Justiça eu ex-advogado, Michael Cohen.

"Não veio da campanha. Veio de mim", disse Trump em um trecho de uma entrevista concedida à Ainsley Earhardt, apresentador do “Fox & Friends”, na emissora "FoxNews" que foi antecipado hoje e vai ao ar na íntegra na quinta-feira, 23. 

Ele afirma na entrevista que, se o dinheiro tivesse vindo da campanha, “isso poderia ser um pouco arriscado”, mas como “veio de mim”, “nem é uma violação da campanha”.

Dois personagens próximos ao presidente dos EUA, Donald Trump, foram figuras de destaque na imprensa local na terça-feira, 21. Michael Cohen, de 51 anos, ex-advogado do magnata, admitiu ter feito pagamentos ilegais à atriz pornô Stephanie Clifford - conhecida na indústria como Stormy Daniels - e à ex-modelo da Playboy Karen McDougal para que elas não revelassem, durante a campanha eleitoral de 2016, um caso extraconjugal com o então candidato.

Pouco depois, o ex-gerente da campanha de Trump Paul Manafort, de 69 anos, foi considerado culpado de oito crimes, incluindo fraude bancária e sonegação, no primeiro grande julgamento derivado do inquérito do promotor especial Robert Mueller sobre a influência da Rússia nas eleições de 2016. Saiba mais sobre o caso abaixo.

Nesta quarta-feira, 22, a porta-voz da Casa Branca, Sarah Huckabee Sanders, disse em entrevista coletiva que o presidente "não fez nada de errado". "Só porque Michael Cohen fez um acordo não significa que ele implique o presidente em qualquer coisa", disse. O presidente mentiu para o povo americano sobre os pagamentos? "Essa é uma acusação ridícula", disse Sanders. "O presidente nesta questão não fez nada de errado e não há acusações contra ele."

Perguntado se Trump se sente traído por Cohen, seu advogado pessoal há mais de uma década que disse que iria "levar uma bala" por ele, Sanders disse: "Eu não acho que o presidente esteja preocupado. Ele sabe que não fez nada errado e não houve conluio com os russos”.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.