AFP PHOTO / MANDEL NGAN
AFP PHOTO / MANDEL NGAN

Trump afirma que 'simples acusações' estão destruindo a vida das pessoas

Em mensagem publicada no Twitter, presidente americano diz que 'não há recuperação possível para alguém que foi acusado falsamente'; nesta semana, dois funcionários da Casa Branca deixaram seus cargos após denúncias de maus-tratos

O Estado de S.Paulo

10 Fevereiro 2018 | 18h26

WASHINGTON - O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou neste sábado, 10, no Twitter que "simples acusações" estão destruindo a vida das pessoas, comentário feito após a demissão de dois funcionários da Casa Branca por denúncias de maus-tratos.

George W. Bush afirma que há evidências claras que os russos interferiram nas eleições de 2016

"A vida das pessoas está sendo destruída por simples acusações. Algumas são verdadeiras e outras são falsas. Algumas são velhas e outras novas. Não há recuperação possível para alguém que foi acusado falsamente: sua vida e sua carreira já eram", escreveu Trump no Twitter.

O líder não concretizou ao que se referia em suas declarações do Twitter, onde publicou hoje várias mensagens. No entanto, os comentários foram feitos depois da demissão de dois funcionários da Casa Branca por denúncias de maus-tratos.

O primeiro a deixar o posto foi Rob Porter, secretário pessoal da Casa Branca, na quarta-feira, depois que suas duas ex-esposas o acusaram de abuso físico e psicológico há anos, e veículos de imprensa publicaram uma fotografia de uma delas com o olho roxo.

O caso de Porter se transformou em um escândalo porque supostamente o chefe de gabinete da Casa Branca, John Kelly, e outros altos funcionários conheciam há meses as acusações contra Porter, e mesmo assim tinham defendido e até mesmo promovido o funcionário.

O segundo funcionário a se demitir foi David Sorensen, que deixou seu posto como redator de discursos na Casa Branca na sexta-feira à noite depois que sua ex-mulher o acusou de agressão física e emocional durante os dois anos e meio de casamento, segundo o jornal "The Washington Post". / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.