Yuri Gripas/EFE/EPA
Yuri Gripas/EFE/EPA

Trump afirma ter tido ‘conversa muito boa’ com líder do Taleban

Presidente seria primeiro líder americano a falar diretamente com grupo extremista e sugeriu que esta não foi a primeira vez

Redação, O Estado de S.Paulo

03 de março de 2020 | 18h52

O presidente Donald Trump disse que conversou nesta terça-feira, 3, com o líder do Taleban, dias depois que os Estados Unidos e o grupo extremista assinaram um acordo que pede a retirada das tropas americanas do Afeganistão após mais de 18 anos.

Acredita-se que Trump seja o primeiro presidente dos EUA a falar diretamente com o Taleban, e ele sugeriu que essa não seria sua primeira vez. Questionado sobre isso, Trump respondeu: "Eu não quero dizer".

"O relacionamento que tenho com o mulá (Abdul Ghani Baradar​) é muito bom", disse Trump.“Tivemos uma boa conversa hoje e, você sabe, eles querem cessar a violência. Eles também gostariam de cessar a violência”.

"Eles estão procurando terminar isso e nós também", disse ele a repórteres. "Acho que todos temos um interesse muito comum".

O acordo, assinado pelos principais negociadores dos dois lados e testemunhado pelo secretário de Estado Mike Pompeo, pode significar a retirada de todas as forças americanas e aliadas em 14 meses e permitir que Trump mantenha uma promessa de campanha fundamental: tirar os EUA de “guerras sem fim ”.

Mas também pode se quebrar facilmente, principalmente se o Taleban e outras facções da sociedade afegã não conseguirem sucesso nas negociações sobre o futuro político do país, programadas para começar na próxima terça-feira.

Trump disse que ainda não está claro o que os afegãos farão quando se sentar com o Taleban e tentar traçar um futuro político pacífico para a nação. Ele acrescentou: “O país realmente precisa acabar com isso. Estamos lá há 20 anos. Outros presidentes tentaram e não tiveram sucesso”.

Pouco tempo antes de Trump falar, o porta-voz do Taleban, Zabiullah Mujahid, twittou que o presidente havia falado por telefone com o líder do Taleban, mulá Abdul Ghani Baradar.

O Taleban afegão também divulgou um comunicado, dizendo que a ligação aconteceu pouco depois das 9h30 da manhã no horário local e durou 35 minutos. O site Intelligence Group, que monitora as comunicações de organizações militantes, disse que o comunicado do Taleban alegou que a ligação foi realizada na presença de vários membros do comitê de negociação do Taleban e Zalmay Khalilzad, o advogado dos EUA que negociou o acordo.

Segundo o comunicado, a conversa foi sobre como os dois lados estabelecerão o acordo. O mulá garantiu a Trump que, se os Estados Unidos honrassem o acordo, os EUA e o Taleban terão "relações bilaterais positivas".

A declaração dizia que o líder talibã disse a Trump: “Sr. Presidente! Tome ações determinadas em relação à retirada de forças estrangeiras do Afeganistão e não permita que ninguém tome medidas que violem os termos do acordo, envolvendo-o ainda mais nesta guerra prolongada”.

Nenhum outro detalhe foi divulgado. /AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.