Doug Mills/NYT
Doug Mills/NYT

Trump ameaça suspender Congresso para fazer nomeações

Presidente afirma que designação de funcionários está sendo bloqueada por legisladores democratas

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de abril de 2020 | 23h55

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçou nesta quarta-feira, 15, usar suas prerrogativas para forçar o recesso do Congresso para poder designar funcionários cujas nomeações, segundo ele, estão sendo bloqueadas por legisladores democratas.

Durante uma coletiva de imprensa diária para informar os esforços para superar a crise do novo coronavírus, Trump acusou os opositores democratas no Senado de atrasar a nomeação de vários juízes e altos funcionários do governo que exigem a vênia da Câmara alta.

Tanto a Câmara, de maioria democrata, quanto o Senado, controlado pelos republicanos não têm se reunido normalmente devido à pandemia da COVID-19, mas tampouco declararam recesso formal.

Os legisladores estão programados para regressar às sessões formais no dia 4 de maio.

Trump exigiu do líder republicano do Senado a suspensão de todas as sessões para poder confirmar seus candidatos ele mesmo.

"O Senado deveria cumprir com seu dever e votar minhas indicações, ou se posicionar formalmente para que eu possa realizar as designações no recesso", disse Trump.

Se a Câmara "não está de acordo com esta suspensão, exercerei minha autoridade constitucional para suspender as duas câmaras do Congresso", advertiu Trump durante a coletiva na Casa Branca.

"A Constituição oferece um mecanismo para que o presidente aja nestas circunstâncias". "Prefiro não usar este poder. Provavelmente seremos levados aos tribunais e veremos quem vence".

Trump alega que alguns cargos vagos são vitais para a resposta à epidemia de coronavírus, que já deixou mais de 27 mil mortos nos EUA.

Entre os cargos vagos estão o de diretor de Inteligência Nacional, de dois membros do Fed e de um alto dirigente do departamento de Agricultura.

"Talvez isto jamais tenha acontecido, mas vamos fazê-lo", assinalou Trump sobre a suspensão do Congresso.

O historiador presidencial americano Michael Beschloss disse no Twitter que "nenhum presidente na história usou o poder constitucional para suspender o Congresso". /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.