Brendan Smialowski / AFP
Brendan Smialowski / AFP

Trump anuncia novo chefe de gabinete interino da Casa Branca 

Trump anunciou no sábado que John Kelly deixaria o cargo até o fim do ano

O Estado de S.Paulo

14 de dezembro de 2018 | 21h00

WASHINGTON - O presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou nesta sexta-feira, 14, que o chefe do Escritório de Orçamento da Casa Branca, Mick Mulvaney, ocupará temporariamente o cargo de chefe de gabinete da presidência em substituição ao general aposentado John Kelly.

O anúncio da substituição de Kelly, que segundo Trump serviu ao país com distinção, foi feito pelo Twitter pelo presidente americano. "Mick tem feito um excelente trabalho na administração. Estou ansioso para trabalhar com ele nessa nova função enquanto continuamos a tornar a América grande de novo! John (Kelly) ficará até o fim do ano. Ele é um grande patriota e quero pessoalmente agradecê-lo por seus serviços!", escreveu Trump. 

Na quinta-feira, o site Huffington Post afirmou que o presidente americano estava considerando seu genro Jared Kushner para o cargo de chefe de gabinete. Casado com Ivanka Trump, ele já atua como assessor da Casa Branca e se reuniu na quinta-feira com o presidente para discutir a questão.

Segundo fontes afirmaram ao site, Kushner estaria promovendo sua candidatura, citando seu trabalho em um pacote de reformas da Justiça criminal e sua habilidade para lidar com os democratas. 

Trump anunciou no sábado que John Kelly deixaria o cargo até o fim do ano.

Nick Ayers, o atual chefe de gabinete do vice-presidente Mike Pence, era considerado o favorito para suceder a Kelly, mas ele anunciou pelo Twitter no domingo que isso estava fora de consideração.

Trump é conhecido por seu temperamento forte e por fazer exigências que são ilegais ou impossíveis de serem atendidas. 

Esperava-se que Kelly, um general da reserva da Marinha, levasse ordem à Ala Oeste da Casa Branca quando ele assumiu o cargo em meados de 2017. Mas o caos que marcou os primeiros seis meses do governo Trump, com Reince Priebus como chefe de gabinete, continuou. / COM EFE 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.