Fredrik PERSSON / TT News Agency / AFP
Fredrik PERSSON / TT News Agency / AFP

Trump anuncia Robert O'Brien como substituto de John Bolton

O advogado, considerado de perfil 'técnico e bipartidário', vai assumir o cargo de conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de setembro de 2019 | 10h54

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta quarta-feira, 18, que Robert O'Brien, atual enviado especial da presidência para Assuntos de Reféns no Departamento de Estado, será o seu novo assessor de Segurança Nacional.

"Estou satisfeito por anunciar que nomearei Robert C. O'Brien, atualmente trabalhando com sucesso como enviado especial presidencial para Assuntos de Reféns no Departamento de Estado, como o nosso novo assessor de Segurança Nacional. Trabalhei muito e duro com Robert. Fará um grande trabalho", disse Trump no Twitter.

O’Brien é advogado, sócio fundador de um escritório de advocacia de Los Angeles, atuou em cargos em vários governos dos EUA e sua especialidade é o Afeganistão e o Oriente Médio.

 


Os funcionários do governo o consideravam uma “escolha segura”, devido ao seu forte relacionamento com colegas do Departamento de Estado e do Pentágono e seu conhecimento em questões de segurança, afirmou o Washington Post.

Fontes que conhecem O’Brien afirmaram ao Post que seu "comportamento afável" contrasta com o de John Bolton, que era conhecido como um “destemido e temperamental burocrata”.

Seu perfil, considerado “técnico e bipartidário, segundo o Washington Post, teria sido levado em consideração em um momento em que Trump busca consolidar conquistas em Relações Exteriores antes das eleições de 2020.

O’Brien trabalhou com a ex-secretária de Estado Condoleezza Rice, durante o governo do republicano George W. Bush, e também sob o comando de Hillary Clinton, durante o governo do democrata Barack Obama. 

No govenro de Trump, em seu papel de enviado presidencial especial para assuntos de reféns, O'Brien trabalhava com famílias de reféns dos EUA e aconselhava o governo  sobre questões relacionadas ao tema, incluindo políticas para resgate.

O'Brien elogiou Trump por ter tido “sucesso sem precedentes” em trazer reféns americano para casa, embora sua aparição em Estocolmo em julho para monitorar o julgamento do rapper americano A $ AP Rocky, acusado de estupro, tenha causado críticas por ser “uma intervenção inadequada em questões legais de uma nação aliada”.

O'Brien assumirá o cargo anteriormente ocupado por John Bolton, que foi demitido por Trump em 10 de setembro, após meses de desacordos relacionados à política externa. / EFE e WASHINGTON POST

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.