Erin Schaff/The New York Times
Erin Schaff/The New York Times

Trump anuncia saída de secretário interino de Segurança Interna dos EUA

Kevin McAleenan foi o quarto secretário de Segurança Interna de Trump em menos de três anos na Casa Branca.

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de outubro de 2019 | 23h07

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta sexta-feira, 11, que o secretário interino de Segurança Nacional, Kevin McAleenan, deixará o cargo.

"Kevin McAleenan fez um trabalho excepcional como secretário interino de Segurança Nacional. Trabalhamos bem juntos diminuindo a migração na fronteira. Agora, depois de muitos anos no governo, Kevin quer passar mais tempo com sua família e ir para o setor privado", escreveu Trump no Twitter.

"Parabéns pelo trabalho bem feito, Kevin! Anunciarei o novo secretário interino na próxima semana. Muitos candidatos maravilhosos!", concluiu o presidente americano.

Ex-chefe da Agência de Proteção Alfandegária e Fronteiras dos EUA (CBP), McAleenan foi o quarto secretário de Segurança Interna de Trump em menos de três anos na Casa Branca.

McAleenan havia substituído interinamente Kirstjen Nielsen no cargo há seis meses. Ela acabou demitida pela insatisfação de Trump com os resultados da estratégia adotada pelo órgão para conter a migração pela fronteira sul do país.

Antes de Nielsen, ocuparam o posto o general reformado John Kelly, que depois foi chefe de gabinete de Trump, e Elaine Duke.

O agora ex-secretário de Segurança Interna assumiu o comando do órgão durante uma grande alta no número de migrantes que chegava aos EUA para pedir asilo.

Embora maio tenha sido o mês com maior fluxo migratório desde 2006, com a detenção de 132 mil pessoas que cruzaram a fronteira sem permissão, o número tem caído desde então.

Sob a gestão de McAleenan, os Estados Unidos assinaram acordos migratórios com México, Guatemala, El Salvador e Honduras. Na prática, os pactos limitam o direito ao asilo para os centro-americanos, uma das obsessões de Trump desde que chegou à Casa Branca.

Em comunicado, McAleenan disse que o Departamento de Segurança Interna conseguiu um "grande progresso" nos últimos seis meses ao mitigar a crise na fronteira. / EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.