AP Photo/Gregory Bull, File
AP Photo/Gregory Bull, File

Trump assinará acordo para evitar paralisação, diz TV

Segundo CNN, presidente dos EUA quer evitar desgaste e deve concordar com pacto com democratas, mesmo sem verba para muro

Redação, O Estado de S.Paulo

13 Fevereiro 2019 | 21h02

WASHINGTON - O presidente dos EUA, Donald Trump, aceitou o acordo firmado entre democratas e republicanos para evitar outra paralisação do governo, mesmo sem ter garantidos os US$ 5,7 bilhões que ele exige para construir um muro na fronteira com o México. Segundo a CNN, duas fontes da Casa Branca confirmaram que ele deve assinar a proposta de orçamento que será votada nesta quinta-feira na Câmara dos Deputados. 

O Congresso americano tem até sexta-feira para aprovar um orçamento e conseguir a assinatura de Trump para evitar uma nova paralisação. O acordo firmado na segunda-feira prevê US$ 1,375 bilhão para a construção do muro na fronteira, valor bem distante dos US$ 5,7 bilhões que Trump quer, e menor do que o US$ 1,6 bilhão incluído em um pacote do Senado no ano passado, que o próprio Trump rejeitou.

Se aprovado, o novo orçamento daria ao governo dinheiro suficiente para construir 88 quilômetros de barreira na fronteira com o México. Em dezembro, a oposição tinha oferecido pagar por 104 quilômetros. Na ocasião, Trump não aceitou e 800 mil funcionários públicos ficaram sem receber salário por mais de um mês.

Ainda assim, a medida evitaria outra paralisação e mais desgaste para os republicanos. Pesquisas indicam que 53% dos americanos culparam Trump e seu partido pela paralisação. “Eu não quero ver uma nova paralisação, que seria uma coisa terrível. Não há razão para isso”, disse o presidente ontem.

Aliados dizem que Trump discorda da proposta do Congresso, mas também não quer pagar o preço político de uma nova paralisação. A solução poderá ser engordar o dinheiro oferecido pelo Congresso com verbas adicionais de outros setores do governo. 

Segundo a CNN, Trump estaria analisando com sua equipe maneiras de retirar recursos de outras áreas, como fundos do Tesouro americano ou fundos para obras civis do Exército. Ainda não está descartada também a possibilidade de declarar estado de emergência e obter a verba sem aprovação do Congresso. Já olhando para as eleições de 2020, o presidente pode declarar, assim, que está cumprindo a promessa de campanha, construindo um muro na fronteira com o México.

 

El Chapo.

Trump, classificou nesta quarta-feira como "interessante" a proposta do senador Ted Cruz de financiar o muro na fronteira com o México usando os bilhões de dólares que o ex-chefão do cartel de Sinaloa El Chapo faturou com o tráfico de drogas.

A ideia de Cruz, senador pelo Estado do Texas, pretende destinar à construção da barreira os US$ 14 bilhões, estimados pela promotoria, que El Chapo ganhou ao longo dos anos até ser finalmente detido em 2016 e extraditado a Nova York.

"É sempre interessante tudo o que Ted Cruz diz. É certamente interessante", respondeu Trump no Salão Oval da Casa Branca a perguntas dos jornalistas.  / AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.