AP Photo/Pablo Martinez Monsivais
AP Photo/Pablo Martinez Monsivais

Trump ataca jornalista que obteve parte de sua declaração de impostos

Em sua conta no Twitter, presidente americano disse que David Cay Johnston - ganhador do prêmio Pulitzer em 2001 - era um desconhecido e acusou a emissora MSNBC de estar 'desesperada por audiência'

O Estado de S.Paulo

15 de março de 2017 | 11h33

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, atacou nesta quarta-feira, 15, em sua conta no Twitter o jornalista David Cay Johnston, que obteve parte da declaração de impostos do líder de 2005 e a divulgou ontem em um programa da emissora "MSNBC".

"Alguém acredita realmente que um jornalista, de quem ninguém nunca tinha ouvido falar, encontrou minhas declarações de impostos em seu e-mail?", questionou Trump em sua conta pessoal no Twitter. Depois, o presidente acusou o jornalista de publicar notícias falsas.

Quando a "MSNBC" informou que iria revelar os documentos obtidos por Johnston, a Casa Branca se antecipou e revelou que Trump pagou US$ 38 milhões em impostos sobre uma renda superior a US$ 150 milhões em sua declaração fiscal do ano de 2005, o que equivale a uma taxa de 25%.

"Sabemos que está desesperado por audiência quando está disposto a quebrar a lei para impulsionar um tema sobre duas páginas de uma declaração de impostos de mais de uma década", disse a Casa Branca, em referência à MSNBC, em comunicado.

David Cay Johnston, um jornalista investigativo ganhador em 2001 de um Pulitzer, dirige um site chamada DCReport.org. Johnston contou que a cópia da declaração chegou ao seu e-mail de forma anônima e abriu a possibilidade de que tenha sido o próprio círculo de Trump responsável pelo vazamento em benefício de seus próprios interesses.

Nesta quarta, em entrevista à emissora "ABC", Johnston ressaltou que os documentos que recebeu não mostram as fontes de ingressos de Trump e nem com quem o magnata fazia negócios nessa época. "Não acredito que ele (Trump) queira que tenhamos conhecimento de todas as pessoas com as quais fez negócios, tanto aquelas com as quais está em dívida como das quais recebe pagamentos", comentou o jornalista.

Trump rompeu durante a campanha eleitoral a tradição, cumprida por todos os candidatos à Casa Branca nas últimas quatro décadas, de publicar as declarações de impostos como mostra de transparência ao eleitorado. O então candidato republicano adiou a publicação de suas declarações com a desculpa de que estavam elas estavam sob auditoria e finalmente nunca as divulgou.

Semanas antes das eleições, o jornal "The New York Times" publicou uma declaração fiscal de 1995 de Trump e revelou que é possível que o agora presidente quisesse evadir para não pagar impostos federais durante duas décadas após apresentar US$ 916 milhões em perdas.

Em seu comunicado, a Casa Branca defendeu que, antes de ser presidente, Trump "foi um dos empresários mais bem-sucedidos do mundo" que tratou de "não pagar mais impostos do que os legalmente requeridos".

A Casa Branca lembrou que em 2005 a construção do principal negócio de Trump sofreu uma "desvalorização a grande escala" e justificou deste modo que a taxa impositiva do presidente fosse de 25%, inferior à correspondente por seus ingressos. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Donald TrumpTwitterCasa Branca

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.