Doug Mills/The New York Times
Doug Mills/The New York Times

Trump autoriza divulgação de transcrição de telefonema com presidente da Ucrânia

Conteúdo da ligação será exibido na quarta-feira, em meio aos pedidos de abertura de impeachment contra o presidente dos EUA por supostamente ter forçado investigação contra filho de Joe Biden

Redação, O Estado de S.Paulo

24 de setembro de 2019 | 16h10

NOVA YORK - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, escreveu em sua conta no Twitter nesta terça-feira, 24, que autorizou a divulgação da transcrição "completa, integralmente desclassificada e não redigida" de sua conversa telefônica com o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenski, a respeito das acusações de pressão econômica para que fosse aberta uma investigação contra o filho do ex-vice presidente e pré-candidato democrata nas eleições de 2020, Joe Biden

Para Entender

Guia para entender a polêmica entre Trump, a família Biden e a Ucrânia

Como a acusação de Trump contra Biden e suspeitas democratas contra o republicano envolvem o país europeu e uma empresa de gás

De acordo com Trump, a divulgação será feita na quarta-feira. "Vocês verão que foi uma ligação muito amigável e completamente apropriada. Sem pressões, e, ao contrário de Joe Biden e seu filho, SEM quiprocó! Isso não é nada mais do que uma continuação da maior e mais destrutiva caça às bruxas de todos os tempos!". 

O polêmico telefonema entre os dois chefes de Estado gerou comoção no Congresso americano para que um pedido de impeachment fosse aberto contra Trump. Segundo o jornal The New York Times, o presidente americano teria congelado US$ 391 milhões em ajuda humanitária ao conflito entre Ucrânia e separatistas apoiados pela Rússia, sob a condição de que o filho de Biden fosse investigado no país. 

Trump tem buscado implicar Biden e seu filho em um esquema de corrupção. Robert Hunter Biden integrou a diretoria de uma companhia de gás ucraniana quando seu pai era vice-presidente dos EUA sob o governo do ex-presidente Barack Obama. Apesar das denúncias, segundo o governo ucraniano, não há evidências de crime cometido por Biden ou pelo filho.

Nesta segunda-feira, 23, no primeiro dia da Assembleia-Geral da ONU, em Nova York, Trump demonstrou confusão. Primeiro, reconheceu a ligação e disse que não enviaria nenhuma ajuda à Ucrânia. “Por que você daria dinheiro a um país que você acha que é corrupto?”, disse.

Questionado mais tarde se o presidente ucraniano receberia o dinheiro em troca da investigação, ele negou. “Eu não fiz isso. Se você vir a ligação (transcrição), ficará muito surpreso”, disse Trump.

Para Entender

Filho de Joe Biden muda rumos de eleição americana

Ao acusar Trump de abuso de poder por pedir à Ucrânia dados sobre negócios de seu filho, democrata precisará explicar tema incômodo

Seus comentários deram margem a questionamentos sobre se houve ou não pressão para obter ajuda da Ucrânia. 

O assunto ganhou peso depois que um funcionário do governo protocolou uma denúncia anônima que relatava uma conversa suspeita entre Trump e Zelenski, em 25 de julho. Os democratas exigem acesso à transcrição do telefonema. / AP, NYT e W. POST

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.