REUTERS/Mike Segar
REUTERS/Mike Segar

Trump cancela desfile militar em Washington e culpa prefeitura por alto custo

Presidente americano diz que município inflou preço do evento, mas deixa aberta a possibilidade de a parada ser realizada em 2019; prefeita da capital americana diz que município necessitaria de US$ 21,6 milhões dos US$ 92 milhões estimados para o evento

O Estado de S.Paulo

17 Agosto 2018 | 14h59

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, confirmou nesta sexta-feira, 17, o cancelamento do desfile militar na capital americana previsto para o fim do ano e culpou as autoridades municipais por inflar o preço.

A prefeita de Washington, Muriel Bowser, rebateu o argumento do republicano no Twitter e escreveu que "finalmente passou" para a "estrela dos realitys (shows)" a "realidade" do que custa para organizar eventos como desfiles militares na cidade.

Ela falou em US$ 21,6 milhões, mas o valor para o município representa apenas uma fração do total que seria gasto, já que as agências federais, especialmente as de segurança, precisariam de outras várias dezenas de milhões de dólares. 

Na quinta-feira, o Pentágono havia dito que a parada militar proposta por Trump em homenagem aos militares poderia ser adiada para 2019 e reconheceu que os custos para realizar o evento neste ano poderia passar de US$ 90 milhões.

O desfile estava programado para o dia 10 de novembro e faria parte das comemorações do fim de semana dos Veteranos. Em mensagens publicadas no Twitter, Trump deixou no ar a possibilidade de o evento ser realizado no próximo ano. O presidente afirmou que, em 2018, participará de outro evento previsto para a Base conjunta Andrews e de um desfile militar em Paris.

O presidente também criticou a prefeitura de Washington, dizendo que a cidade está mal administrada. Muriel, prefeita eleita pelo Partido Democrata, reagiu e zombou do presidente ao terminar seu tuíte com um "triste" (sad, em inglês) entre parênteses - uma palavra que Trump costuma usar em suas próprias mensagens - e chamou o republicano de "o astro dos reality (shows) na Casa Branca".

Na eleição presidencial de 2016, a maioria esmagadora dos moradores da capital americana escolherem a então candidata democrata, Hillary Clinton, na disputa para a Casa Branca.

Custo do desfile

De acordo com um detalhamento do orçamento do desfile enviado pela prefeitura ao New York Times, a participação de 18 agências municipais custaria US$ 21,6 milhões aos cofres públicos, incluindo mais de US$ 13 milhões apenas para as medidas de segurança do Departamento de Polícia de Washington - normalmente, o governo federal reembolsa as cidades por esse tipo de despesa.

As estimativas para estes tipos de desfile costumam levar em consideração eventos similares realizados em anos anteriores. De acordo com estimativa do jornal Washington Post, o desfile realizado após a cerimônia de posse de Trump em janeiro de 2017 custou cerca de US$ 20 milhões ao município. Além disso, as agências federais também gastaram vários milhões de dólares no evento.

No ano passado, Trump pediu que fosse organizado um desfile em que tropas, tanques, jatos e outros equipamentos militares atravessassem as ruas da capital dos EUA. As estimativas iniciais de custo do evento variavam entre US$ 10 milhões e US$ 30 milhões - a emissora CNBC foi a primeira a falar do novo valor de US$ 90 milhões.

Na quinta-feira, o secretário de Defesa dos EUA, Jim Mattis, negou o relato da CNBC em relação ao orçamento do desfile militar e disse: "Eu garanto que ainda não há uma estimativa oficial de custo".

Trump sugeriu que o dinheiro que o governo economizará ao não realizar o evento pode ser usado na compra de mais jatos militares, apesar de o valor deste tipo de equipamento ser extremamente elevado - a versão da Força Aérea do novo caça F-35, por exemplo, custa cerca de US$ 94 milhões.

Trump ficou maravilhado ao assistir em 2017, a convite do presidente da França, Emmanuel Macron, o desfile militar de 14 de julho, quando o país celebra o Dia da Bastilha.

A capital francesa também tem programada para novembro a realização de seu desfile anual do Dia do Armistício, o aniversário do fim simbólico da 1ª Guerra. Ainda não sabe qual desfile o presidente planeja assistir na Base conjunta Andrews, em Maryland.

Trump pediu em fevereiro que o Pentágono organizasse um evento similar. A ideia era que o desfile percorresse a Avenida Pensilvânia, indo da Casa Branca até o Congresso americano.

A última vez que um desfile militar de grandes proporções foi realizado em Washington foi em 1991, para celebrar o fim da Guerra do Golfo. Na ocasião, o custo foi de US$ 12 milhões, ou cerca de US$ 22 milhões em valores atualizados. / NYT e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.