AFP PHOTO / MANDEL NGAN
AFP PHOTO / MANDEL NGAN

Trump confronta deputada democrata e tensões sobre imigração aumentam nos EUA

Congressista pediu a americanos que confrontem membros do governo próximos de Trump em locais públicos

O Estado de S.Paulo

25 de junho de 2018 | 22h12

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, atacou nesta segunda-feira, 25, uma congressista democrata que pediu para americanos confrontarem membros do governo próximos de Trump em locais públicos, num momento em que tensões aumentam sobre as políticas imigratórias linhas-duras do presidente republicano.

Trump enfrentou protestos globais neste mês, incluindo críticas de pessoas de dentro de seu próprio partido, por conta de crianças imigrantes separadas de seus pais por autoridades americanas sob a política do governo de buscar deter e processar adultos pegos entrando ilegalmente no país.

O presidente voltou atrás na quarta-feira, ordenando um fim às separações familiares na fronteira entre EUA e México, mas deixando em vigor sua política de “tolerância zero”, de dois meses. Isto levantou dúvidas sobre onde abrigar famílias detidas na fronteira e como processá-las rapidamente. O governo ainda precisa reunir mais de 2 mil crianças com seus pais.

A deputada democrata Maxine Waters disse no domingo para uma multidão na Califórnia, seu Estado natal, que a recusa de um restaurante na Virgínia na sexta-feira de servir a secretária de imprensa da Casa Branca, Sarah Sanders, deveria ser um modelo para resistir a Trump.

“Se você encontrar alguém do gabinete em um restaurante, em uma loja de departamento, em um posto de gasolina, você sai e você cria uma multidão. E você afasta eles. E você diz para eles que eles não são mais bem-vindos, em nenhum lugar. Nós precisamos conectar as crianças com seus pais”, disse Maxine.

Trump, que intensificou seus ataques frequentemente duros contra democratas antes das eleições parlamentares de novembro, novamente mirou Maxine nesta segunda-feira e a colocou junto da líder democrata na Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi.

+ Francesa cruza sem querer do Canadá para EUA e passa 15 dias na prisão

“Congressista Maxine Waters, uma pessoa com QI extraordinariamente baixo, se tornou, junto com Nancy Pelosi, o rosto do Partido Democrata. Ela acabou de pedir o mal para apoiadores, que são muitos, do movimento Make America Great Again. Cuidado com o que deseja, Max!”, disse.

Ele criticou o restaurante Red Hen, em Lexington, Virgínia, tuitando que o restaurante “deveria focar mais em limpar seus imundos toldos, portas e janelas (precisam urgentemente de uma pintura) ao invés de se recusar a servir uma pessoa boa como Sarah Huckabee Sanders”.       

Sara iniciou sua entrevista coletiva regular na Casa Branca nesta segunda-feira reconhecendo sua remoção do restaurante e disse: “Debate saudável sobre ideias e filosofia política é importante, mas os pedidos para danos e movimento para qualquer apoiador de Trump evitar o público é inaceitável”.

Na semana passada, conforme Trump defendia sua política de imigração, a secretária de Segurança Interna, Kirstjen Nielsen, foi confrontada em um restaurante mexicano em Washington por manifestantes gritando: “Vergonha! Vergonha!”.

A líder democrata na Câmara, Nanci Pelosi, pediu menos exaltação em ambos os lados.

“Nos meses cruciais à frente, devemos nos esforçar para tornar a América linda novamente. A falta diária de civilidade de Trump provocou respostas que são previsíveis, mas inaceitáveis. Ao seguirmos em frente, nós devemos realizar eleições de uma maneira que alcance união”, disse. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.