Evan Vucci/AP
Evan Vucci/AP

Trump critica decisão de Comey de divulgar memorando em suas conversas

Presidente norte-americano classificou vazamento como 'covarde'

O Estado de S.Paulo

11 de junho de 2017 | 13h37

WASHINGTON - O presidente norte-americano Donald Trump criticou neste domingo, 11, a decisão do ex-diretor do FBI, James Comey, de divulgar as conversas sobre a alegada solicitação para que o FBI abandonasse uma investigação sobre o ex-chefe do Conselho de Segurança Nacional, Mike Flynn.

"Eu acredito que os vazamentos de James Comey serão muito mais comuns do que qualquer um pensou ser possível", disse Trump no Twitter na manhã deste domingo. "Totalmente ilegal? Muito covarde!"

Muitos especialistas em legislação dizem que não houve qualquer ilegalidade nas ações de Comey, já que o material não era confidencial e que ele não é mais um funcionário do governo.

Depois que Trump demitiu o diretor, em 9 de maio, Comey providenciou um amigo para mostrar um memorando detalhando suas conversas à imprensa, disse o ex-chefe do FBI ao Comitê de Inteligência do Senado na semana passada. Comey disse no memorando que se sentiu pressionado pelo presidente a deixar a investigação sobre Flynn. Trump nega a acusação.

Flynn está sob investigação por suas conversas com autoridades russas durante o período de transição de governo, antes de Trump assumir a presidência.

Neste domingo, Trump também escreveu no Twitter que o "#FakeNews MSM" - uma abreviatura para a mídia convencional - não informa sobre as "grandes notícias econômicas" desde o dia da eleição e acusou os democratas de "não terem mensagem" sobre economia, cuidados de saúde ou emprego. "Eles são apenas obstrucionistas!", escreveu. / Dow Jones Newswire

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.