REUTERS/Fabrizio Bensch
REUTERS/Fabrizio Bensch

Trump culpa ‘terroristas islâmicos’ por ataque em Berlim

Presidente eleito dos EUA disse que grupo ‘massacra cristãos’ em nome de sua ‘jihad global’

O Estado de S.Paulo

20 Dezembro 2016 | 08h59

WASHINGTON - O presidente eleito dos EUA, Donald Trump, culpou os "terroristas islâmicos" pelo "massacre", na segunda-feira, de 12 pessoas em uma feira natalina no centro de Berlim. "Nossos corações e orações estão com os entes queridos das vítimas do terrível ataque terrorista de hoje (segunda-feira) em Berlim. Vítimas inocentes foram assassinadas nas ruas quando se preparavam para celebrar a festa de Natal", declarou o republicano em um comunicado.

"O EI (Estado Islâmico) e outros terroristas islâmicos continuamente massacram cristãos em suas comunidades e locais de culto como parte de sua jihad global", destacou Trump.

Conhecido por sua retórica ácida, o magnata, que será empossado em 20 de janeiro, também prometeu acabar com os "terroristas" do mundo. "Estes terroristas e suas redes regionais e mundiais precisam ser erradicados da face da Terra, uma missão que vamos executar com todos os parceiros amantes da liberdade", acrescentou.

Em sua conta no Twitter, ele acrescentou: “Hoje houve ataques terroristas na Turquia, na Suíça e na Alemanha, e só piora. O mundo civilizado precisa mudar seu pensamento".

Em Ancara, um policial matou a tiros o embaixador russo na Turquia, Andrei Karlov, em um ataque durante uma exposição de arte, enquanto um homem feriu três pessoas ao invadir um centro islâmico na cidade suíça de Zurique e atirar contra os presentes. / AFP

Mais conteúdo sobre:
Alemanha Donald Trump Terrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.