Evan Vucci / AP
Evan Vucci / AP

Trump desiste de reunião do G-7 em seu clube de golfe na Flórida

Presidente americano recuou de decisão que havia provocado acusações de corrupção

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2019 | 16h57

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que a próxima reunião de cúpula do G-7 não será realizada em um de seus clubes de golfe no Estado da Flórida, recuando em uma decisão que havia provocado acusações de corrupção.

“Com base na hostilidade irracional tanto da mídia quanto dos democratas, já não consideramos o Trump National Doral, de Miami, como a sede da reunião do G-7 em 2020”, escreveu o presidente no Twitter no sábado à noite. “Começaremos a busca de outro local, incluindo a possibilidade de Camp David, de imediato”, completou.

O chefe de gabinete interino de Trump, Mick Mulvaney, anunciou na quinta-feira que o resort na Flórida era “o melhor” lugar entre vários considerados para o encontro, que será realizado entre 10 e 12 de junho de 2020.

Na sexta-feira, os democratas apresentaram no Congresso um projeto de lei para bloquear o plano. Os opositores realizam investigações para a abertura de um julgamento político de Trump por supostamente ter pressionado a Ucrânia para interferir em favor de sua reeleição nas eleições de 2020.

Para Entender

O processo que pode levar ao impeachment de Trump

É possível que o presidente americano seja deposto? Como ficam as eleições americanas de 2020? Fique por dentro dessas questões com este conteúdo especial

Diante de questionamentos éticos ou legais, Trump afirmara que, com a organização do encontro do G-7 em seu resort, não receberia “nada” de lucro.

O clube Doral representa uma importante parte do portfólio de Trump. Ele gera mais lucro do que qualquer outro hotel ou clube de golfe do magnata, que fez empréstimo de US$ 125 milhões para comprá-lo. 

Para Entender

Qual a relação de Joe Biden com a Ucrânia no escândalo do impeachment de Trump

Filho do ex-vice presidente dos EUA trabalhou durante anos em empresa ucraniana e Trump o acusa de interferir em investigações para interesse próprio

Mas recentemente, a importante propriedade começou a entrar em declínio, com os lucros sofrendo uma queda de cerca de 69% nos últimos três anos. Um especialista contratado pela Organização Trump culpou a politização da marca Trump pelos prejuízos. / W.POST e AFP 

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.