Erin Schaff/The New York Times
Erin Schaff/The New York Times

Trump despacha navios para o Caribe contra narcotráfico e pressiona Maduro

Presidente americano faz anúncio uma semana depois de oferecer recompensa pela captura do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro

Redação, São Paulo

01 de abril de 2020 | 23h09

O presidente americano, Donald Trump, anunciou o envio de uma frota para as proximidades da região da Venezuela a fim de combater o narcotráfico. O anúncio foi feito na Casa Branca quase uma semana depois de o Departamento de Justiça (DoJ) do governo americano ter oferecido recompensa pela captura do ditador venezuelano, Nicolás Maduro, e de outros integrantes de seu governo, acusados de tráfico de drogas.

A frota enviada é composta de navios de guerra e de combate, aviões e levará helicópteros para fazer a vigilância da região. O presidente americano estava acompanhado do secretário de Defesa, Mark Esper, durante o anúncio. E o Comando Sul da Marinha dos Estados Unidos retuitou logo em seguida a decisão do presidente. "Os Estados Unidos estão lançando uma operação de luta contra o narcotráfico no hemisfério ocidental para proteger os americanos das ações dos narcotraficantes", afirmou Trump.

 

O presidente americano afirmou que não vai permitir que os cartéis da droga aproveitem a epidemia de covid-19 para ameaçar os americanos. A Guarda Costeira também deve participar das operações. O secretário Esper divulgou em seu Twitter um mapa com as operações que devem ser feitas. Aviões-patrulha devem ajudar a vigiar a região para sufocar a ação dos cartéis. A  Até agora, nenhum oficial venezueano se manifestou sobre o caso.


O general Mark Milley, chefe do Estado-Maior Conjunto dos Estados Unidosdisse que a decisão de escalar a presença militar americana na região é baseada em dados da inteligência do país. De acordo com ele, como resultado da covid-19 cartéis da droga estão tentando tirar vantagem da situação para "infiltrar drogas em nosso país". Durante o anúncio, o secretário Esper afirmou que a operação  não permitirá apenas atacar as operações dos narcotraficnates, mas também servirá para negar "aos nossos adversários recursos financeiros dos quais eles dependem".

"Personagens corruptos como o ilegítimo regime de Maduro na Venezuela confia nos lucros derivados da venda de narcóticos para manter seu poder opressivo", afirmou. "O povo venezuelano continua a sofrer tremendamente em razão do controle que Maduro exerce no país." Além de Maduro, outros 16 membros de seu governo foram acusados pelo DoJ de tráfico de drogas. O Departamento acusa o ditador venezuelano de tentar estabelecer uma rota aérea de transporte de drogas da Venezuela para a América Central.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.