REUTERS/Carlo Allegri
REUTERS/Carlo Allegri

Trump determina início de investigação sobre suposta fraude eleitoral

Presidente americano afirmou que iniciativa servirá para verificar casos de eleitores que teriam votado em mais de um Estado, que estavam em situação ilegal ou que usaram documentos de pessoas mortas;

O Estado de S. Paulo

25 Janeiro 2017 | 14h50

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ordenou nesta quarta-feira, 25, o início de uma "grande investigação" sobre uma suposta fraude nas eleições de novembro, uma afirmação que não tem respaldo em evidências e é contestada por membros do próprio Partido Republicano.

"Vou pedir uma grande investigação sobre a fraude eleitoral, incluindo aqueles registrados para votar em dois Estados, aqueles que são ilegais e, também, os registrados para votar que estavam mortos (muitos deles há muito tempo)", escreveu Trump no Twitter. "Dependendo dos resultados, fortaleceremos nossos procedimentos de votação", acrescentou o presidente na rede social.

Nos últimos dias, Trump disse que houve até 5 milhões de votos ilegais nas eleições de novembro que permitiram que a democrata Hillary Clinton o vencesse no voto popular apesar da derrota no colégio eleitoral, sistema que determina o vencedor da eleição. Trump levou o colégio eleitoral por 304 a 232, mas Hillary teve quase 3 milhões de votos a mais que o rival no geral.

Antes da vitória, Trump já tinha denunciado em múltiplas oportunidades que as eleições eram manipuladas a favor de Hillary pelo voto em massa de milhões de imigrantes ilegais, pessoas mortas e pessoas que iam às urnas em dois Estados ou mais.

Membros Partido Republicano, como o presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Paul Ryan, discordam da teoria de Trump. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.