Andrew Harnik/ AP
Andrew Harnik/ AP

Trump diz que a Coreia do Norte pode estar planejando um belo 'presente de Natal'

O presidente norte-americano não deu muita certeza sobre o que esperar de Kim Jong-un; ele também disse que o acordo comercial com a China já foi fechado

Redação, O Estado de S. Paulo

25 de dezembro de 2019 | 05h32

PALM BEACH - O presidente Donald Trump disse na última terça-feira, 24, que o líder norte-coreano Kim Jong-un pode estar planejando dar a ele "um belo presente", como um "lindo vaso" para o Natal, em vez do lançamento de um míssil. A resposta veio após ele ser questionado sobre qual seria a sua atitude perante um novo teste de mísseis de longo alcance da Coreia do Norte.

O Norte ameaçou tomar medidas não especificadas se as sanções econômicas aplicadas contra o país, não forem atenuadas até o final do ano. Até lá, as especulações se concentraram na possibilidade de um novo teste de míssil, sendo possivelmente um do tipo balístico e intercontinental, capaz de lançar uma ogiva nuclear.

Kim disse que seu "presente de Natal" para os Estados Unidos dependerá das ações de Washington. Trump, que está na Flórida para as festividades, estava agradecendo aos membros das forças armadas via satélite, quando lhe perguntaram sobre a Coreia do Norte. Ele optou por uma abordagem de 'esperar para ver'.

"Talvez seja um presente em que ele me envie um vaso bonito, em vez de um teste de míssil", disse Trump. "Posso receber um belo presente dele. Você não sabe". As negociações nucleares entre os EUA e a Coreia do Norte foram paralisadas desde a cúpula de fevereiro entre Trump e Kim.

Enquanto isso, uma nova imagem de satélite de uma fábrica onde a Coreia produz equipamentos militares, usados ​​para lançar mísseis de longo alcance, mostra a construção de uma nova estrutura.

Em Nova York, o porta-voz da ONU, Stephane Dujarric, foi questionado se o secretário-geral Antonio Guterres tinha uma mensagem para Kim sobre algum "presente de Natal".

"Nossa mensagem é para a liderança da República Popular Democrática da Coreia trabalhar pela paz e estabilidade na Península Coreana, e para retomar as negociações em nível de trabalho com os Estados Unidos. O envolvimento diplomático é o único caminho para a paz sustentável e a completa desnuclearização e da Península Coreana'', disse Dujarric.

 

Acordo com a China

Trump também disse que ele e o presidente chinês, Xi Jinping, terão uma cerimônia de assinatura para fechar a primeira fase do acordo comercial EUA-China, estabelecido este mês. "Sim, teremos uma cerimônia de assinatura", disse Trump a repórteres.

"Em última análise, sim, quando nos reunirmos. E teremos uma assinatura mais rápida, porque queremos concluir. O acordo está feito, está sendo traduzido no momento". O representante comercial dos Estados Unidos, Robert Lighthizer, disse em 13 de dezembro que representantes de ambos os países assinariam o acordo comercial da Fase 1 na primeira semana de janeiro.

Falando em Pequim na quarta-feira, 25, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Geng Shuang, disse que os dois países estão em contato direto. "As equipes econômicas e comerciais de ambos os lados estão em estreita comunicação sobre os detalhes para a assinatura do acordo, além de outros trabalhos de acompanhamento", disse Geng em uma entrevista coletiva diária. Ele não deu mais detalhes.

Pequim também ainda não confirmou componentes específicos do acordo que foram divulgados por autoridades dos Estados Unidos. Um porta-voz do Ministério do Comércio da China disse na semana passada que os detalhes serão divulgados após a assinatura oficial./ AP e REUTERS 

Tudo o que sabemos sobre:
Coreia do Norte [Ásia]Donald Trump

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.