Jabin Botsford / Washington Post
Jabin Botsford / Washington Post

Trump diz que curdos e turcos são como crianças que precisavam brigar um pouco

‘Você precisa deixar que lutem e depois separá-las’, afirmou o presidente durante um comício; conflito na Síria já deixou mais de 500 mortos e 300 mil deslocados

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de outubro de 2019 | 09h44

DALLAS, EUA - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nessa quinta-feira, 17, que deixou que curdos e turcos se enfrentassem na Síria porque eram "como duas crianças" que precisavam "lutar um pouco".

"O que eu fiz não foi convencional. Eu disse que eles terão que lutar um pouco. Como duas crianças, você precisa deixar que lutem e depois separá-las", afirmou Trump durante um comício em Dallas, no Estado do Texas.

Para Entender

Quem são os curdos e por que a Turquia quer atacá-los?

Turcos enxergam 'ameaça terrorista' em grupo na fronteira com a Síria

"Eles lutaram por alguns dias e foi bastante cruel", completou ele, antes de celebrar que "não houve uma gota de sangue americano derramado".

Centenas de mortes e milhares de deslocados

O governo dos EUA preparou o caminho para a ofensiva militar da Turquia contra uma milícia curda no norte da Síria ao retirar dias antes suas tropas da região.

A operação militar, que durou uma semana até o anúncio na quinta-feira de um cessar-fogo provisório, deixou até agora mais de 500 mortos, principalmente curdos, incluindo dezenas de civis, e 300 mil deslocados, de acordo com a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH). Em apenas um dia, a ofensiva deixou mais de 60 mil pessoas deslocadas.

Para Entender

Com tensão no Oriente Médio, como ficará o futuro da Síria?

Conflito no norte sírio remodela antigas alianças a inicia nova fase da guerra que já dura oito anos

Reação

Brett McGurk, ex-enviado especial da presidência americana para a coalizão antijihadista que lutou contra o grupo Estado Islâmico, considerou as declarações "obscenas e ignorantes".

"200 mil pessoas inocentes deslocadas. Centenas de mortos. Informações confiáveis sobre crimes de guerra. Prisioneiros do EI que fogem. EUA abandonando e bombardeando suas próprias posições ou as cedendo para a Rússia. Duas crianças que brigam?", questionou ele no Twitter. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.