Trump diz que EUA jamais anularão emenda que garante direito a ter armas

declarações do presidente são uma resposta a um artigo de John Paul Stevens, ex-juiz da Suprema Corte, que defendeu a revogação da Segunda Emenda

O Estado de S.Paulo

28 Março 2018 | 13h39

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta quarta-feira, 28, que a Segunda Emenda -– artigo da Constituição americana que garante aos cidadãos o direito de portar armas – jamais será repelida. As declarações do presidente são uma resposta a um artigo de John Paul Stevens, ex-juiz da Suprema Corte, que defendeu a revogação da emenda. 

+ Em marcha, jovens pedem revolução pelo voto contra armas nos EUA

O presidente abordou a questão pela manhã em sua conta no Twitter, nos primeiros pronunciamentos sobre o tema desde marchas organizadas por estudantes favoráveis a restrições ao porte de armas em todo o país. “Por mais que os democratas gostassem que ela fosse repelida, e apesar do que disse o juiz stevens, de jeito nenhum (ela será repelida)”, escreveu. “Precisamos de mais republicanos em 2018 e sempre manter a maioria na Suprema Corte.”

+ Cenário: A geração do milênio, se for às urnas, mudará os EUA

Na terça-feira, o juiz Stevens escreveu um artigo no New York Times no qual defendeu que a emenda seja abolida. “Raras vezes na vida eu vi o engajamento cívico de jovens em idade escolar como ocorreu no último sábado”, disse. “Essas manifestações merecem nosso respeito e revelam o respaldo píblico para diminuir o risco de massacres em massa em escolas.”

A porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, disse que o Executivo americano não compartilha da opinião do juiz. “O presidente e o governo apoiam a segunda emenda completamente”, disse. / NYT

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.