Shawn Thew/EFE
Shawn Thew/EFE

Trump diz que Kim Jong-un se desculpou por lançar mísseis

Kim fez suas considerações em uma carta enviada a Trump na semana passada, afirmou o presidente americano no Twitter

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de agosto de 2019 | 16h57

WASHINGTON - O presidente dos EUA, Donald Trump, disse ontem que o líder norte-coreano Kim Jong-un apresentou um “pequeno pedido de desculpas” pelo recente lançamento de mísseis de Pyongyang e está aberto para retomar as negociações sobre a questão nuclear com americanos e sul-coreanos. 

Kim fez suas considerações em uma carta enviada a Trump na semana passada, afirmou o presidente americano no Twitter. Na carta, o líder norte-coreano disse “muito gentilmente, que ele gostaria de se encontrar e começar as negociações assim que os exercícios conjuntos dos EUA e da Coreia do Sul terminarem”, escreveu Trump.

A Coreia do Norte considera que essas manobras militares são uma preparação para uma eventual invasão de seu território, além de vê-las como um obstáculo para a retomada das negociações com Washington sobre a desnuclearização do país.

Pyongyang disse que seus recentes testes com mísseis de curto alcance são para protestar contra esses exercícios. Segundo a agência sul-coreana Yonhap, a Coreia do Norte disparou dois “projéteis não identificados” ontem.

Ontem, Trump ficou do lado de Kim ao criticar as manobras conjuntas, que são a base da cooperação militar entre Washington e Seul. “Foi uma longa carta, que, em grande parte, ele se queixou dos exercícios ridículos e dispendiosos.

Fez também uma pequena desculpa por testar os mísseis de curto alcance e disse que esses testes pararão quando os exercícios terminarem”, acrescentou. “Espero ver Kim Jong-un em um futuro não muito distante.”

Trump parece determinado a garantir um acordo de desnuclearização com a Coreia do Norte antes das eleições presidenciais do próximo ano nos EUA, apesar das negociações infrutíferas desde que ele se encontrou com Kim em Cingapura em junho de 2018. 

Na sexta-feira, Trump, que reluta em criticar o líder norte-coreano, disse que os lançamentos de mísseis não são importantes. “Vou dizer de novo. Não houve testes nucleares. Os testes com mísseis sempre foram de curto alcance. Não houve testes com mísseis balísticos, não houve mísseis de longo alcance”, enfatizou. / AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.