David Paul Morris / Bloomberg
David Paul Morris / Bloomberg

Trump diz que seu filho é ‘inocente’ e volta a atacar imprensa

Kremlin voltou a negar que tenha ligações com a advogada russa Natalia Veselnitskaya, que se encontrou com Donald Trump Jr. no dia 9 de junho de 2016 em Manhattan

O Estado de S.Paulo

12 Julho 2017 | 08h42
Atualizado 12 Julho 2017 | 15h56

WASHINGTON - O presidente dos EUA, Donald Trump, disse nesta quarta-feira, 12, que seu filho mais velho, Donald Trump Jr., é "inocente", após revelações em e-mails indicarem que ele aceitou a oferta de ajuda da Rússia contra a então adversária de seu pai, Hillary Clinton, na eleição presidencial de 2016

"Meu filho Donald fez um bom trabalho na noite passada", escreveu Trump em sua conta no Twitter, referindo-se a uma entrevista de seu filho sobre o assunto, que foi transmitida na noite de terça-feira. "Ele foi aberto, transparente e inocente. Essa é a maior caça às bruxas na história da política. Triste.”

Ainda nesta quarta-feira, o Kremlin voltou a negar que tenha ligações com a advogada russa Natalia Veselnitskaya, que se encontrou com Donald Trump Jr. no dia 9 de junho de 2016 na Trump Tower em Manhattan. A história foi revelada no fim de semana pelo jornal The New York Times.

“Já dissemos que desconhecemos essa história, nunca tivemos contato com essa advogada. Ela não tem nada a ver conosco”, disse o porta-voz do governo russo, Dmitri Peskov, em uma entrevista coletiva.

Na véspera, Donald Trump elogiou a "transparência" de seu filho mais velho após a publicação de e-mails que revelaram que ele buscou receber informação para prejudicar Hillary.

"Meu filho é uma pessoa de altos atributos e aplaudo sua transparência", afirmou Trump em um comunicado lido pela porta-voz adjunta da Casa Branca, Sarah Sanders, aos jornalistas, sem dar mais detalhes.

Donald Trump Jr. divulgou, em sua conta no Twitter, os e-mails com o objetivo de ser, em suas palavras, "totalmente transparente" sobre como e por quê participou do encontro com Natalia.

Imprensa

O presidente americano também voltou a atacar a imprensa. "Lembrem-se, quando vocês escutam 'indicaram fontes' da Fake News (notícias falsas), muitas vezes elas são inventadas e não existem", disse ele no Twitter, sem deixar claro se fazia referência a uma reportagem em particular, uma vez que as informações da imprensa sobre o encontro de seu filho com a advogada russa foram confirmadas pelas partes interessadas.

Várias investigações estão em andamento nos EUA, conduzidas pelo FBI (Polícia Federal americana) e por comissões do Congresso, sobre a interferência da Rússia no processo eleitoral de 2016, incluindo sobre o possível conluio entre pessoas próximas a Trump e o poder russo. / AFP e ASSOCIATED PRESS

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.