Alex Brandon/AP
Alex Brandon/AP

Trump diz ter oferecido ajuda a médicos de Boris Johnson

Presidente americano afirma que empresas farmacêuticas dos EUA estão dispostas a cooperar com tratamento

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de abril de 2020 | 20h46

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que ele e várias empresas farmacêuticas entraram em contato com os médicos do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, para oferecer ajuda depois que o premiê deu entrada em uma unidade de terapia intensiva nesta segunda-feira, 6, por causa do coronavírus.

O anúncio foi feito nesta segunda-feira durante a entrevista coletiva diária do presidente. De acordo com o jornal inglês The Guardian, Trump afirmou que teria enviado medicamentos para o primeiro-ministro. Questionado, ele não deu mais informações, nem os nomes dos remédios ou das indústrias envolvidas. 

“Bom, é um tratamento muito, muito complexo que eles desenvolveram recentemente, e eles têm muita experiência com outras coisas, mais recentemente com essa. E elas (as empresas)  já concordaram. Elas tiveram encontros com médicos, e nós vamos ver se eles irão querer ou não seguir por esse caminho”, disse. 

O presidente afirmou ter pedido que duas empresas farmacêuticas e de biotecnologia entrassem em contato com o governo britânico para oferecer seus serviços relacionados ao coronavírus.

Trump também disse ter ficado triste ao saber que Johnson havia sido transferido para a UTI.  "Os americanos estão todos orando por sua recuperação. Ele tem sido um amigo muito bom. Ele tem sido algo muito especial - forte, resoluto, não desiste, não desiste", declarou. /Com agências internacionais

 

Tudo o que sabemos sobre:
Donald TrumpBoris Johnsoncoronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.