REUTERS/Andrew Winning
REUTERS/Andrew Winning

Trump é favorito nos três primeiros Estados que realizarão prévia republicana

Intenções de voto dão vitória a bilionário em Iowa; New Hampshire e Carolina do Sul

Cláudia Trevisan, CORRESPONDENTE / WASHINGTON, O Estado de S. Paulo

28 Janeiro 2016 | 21h18

A poucos dias do início da temporada de prévias eleitorais nos EUA, Donald Trump lidera a corrida pela nomeação do Partido Republicano nos três primeiros Estados que definirão o candidato da legenda à sucessão de Barack Obama. O calendário será inaugurado na segunda-feira em Iowa, onde o bilionário tem 32% das intenções de voto, segundo pesquisa da NBC News e Wall Street Journal divulgada nesta quinta-feira.

O levantamento mostra ainda que o senador texano Ted Cruz se consolidou no segundo lugar em Iowa, mas tem sua posição ameaçada pelo também senador Marco Rubio em New Hampshire, o próximo Estado a realizar primárias, no dia 9. Cruz tem 25% das intenções de voto entre os republicanos de Iowa, mas cai para 12% em New Hampshire. Rubio registra 18% e 11%, respectivamente, nos dois Estados.

A pesquisa não captou o impacto do último debate entre os candidatos republicanos antes da decisão de Iowa, que seria realizado na noite desta quinta-feira. Trump decidiu não participar do embate e planejou um evento paralelo no Estado.

Na Carolina do Sul, que realiza primárias no dia 20, o bilionário lidera a disputa com 36% das intenções de voto, o que o coloca 16 pontos porcentuais à frente de Cruz, que tem 20%. Rubio aparece em seguida, com 14%.

O resultado de Iowa não costuma ser um bom indicador do vitorioso final da disputa pela nomeação do Partido Republicano, mas ajuda a definir o quadro da corrida e a mostrar quais nomes têm chance de cruzar a linha de chegada.

Em décadas recentes, só houve um caso de candidato que ficou abaixo do terceiro lugar em Iowa, mas ainda assim conquistou a indicação do partido: John McCain, em 2008. Apesar da vitória, ele perdeu a eleição presidencial para o democrata Barack Obama. Nas seis últimas disputas, o vencedor do Partido Republicano em Iowa só foi o nomeado pela legenda em duas ocasiões.

A liderança de Trump e Cruz preocupa os líderes tradicionais do Partido Republicano. Para eles, as posições extremas dos dois candidatos reduzem as chances de vitória da legenda na disputa nacional com o Partido Democrata, em novembro.

Cruz tem sua origem no Tea Party, a ala de extrema direita da legenda, e um histórico de votações no Senado que o coloca como o mais conservador entre os parlamentares da Casa.

Os eleitores democratas de Iowa estão divididos entre a ex-secretária de Estado Hillary Clinton, que tem 48% das intenções de votos, e o senador Bernie Sanders, que a segue de perto, com 45%. Em 2008, quando perdeu a disputa pela indicação da legenda para Obama, Hillary terminou em terceiro lugar nas prévias do Estado.

Em New Hampshire, Sanders lidera com uma vantagem de 19 pontos porcentuais sobre Hillary: 57% a 38%. Mas a ex-secretária de Estado reverte a situação na Carolina do Sul, com 64% a 27%. Na medida em que o calendário avançar, ela deve consolidar sua posição no primeiro lugar.

O quadro dentro do Partido Republicano pode ficar indefinido até julho, quando as duas legendas realizam suas convenções. Se nenhum dos pré-candidatos conseguir a maioria dos delegados estaduais, a escolha será feita na convenção, algo que não ocorre pelo menos desde os anos 70.

Quando entrou na disputa, Jeb Bush era visto como um dos favoritos da disputa interna da legenda – ele tinha apoio dos grandes doadores de campanha, preferência dos líderes tradicionais republicanos e um sobrenome associado há décadas ao poder. Mas a rebelião das bases do Partido Republicano impulsionou a emergência de Trump e de Cruz.

Mais conteúdo sobre:
Trump eleições intenções de voto Iowa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.