REUTERS/Jim Young; REUTERS/Chris Keane; David Calvert/Getty Images/AFP
REUTERS/Jim Young; REUTERS/Chris Keane; David Calvert/Getty Images/AFP

Trump é favorito para caucus republicano em Nevada nesta terça

Pesquisas mostram magnata com ampla vantagem sobre os senadores Marco Rubio e Ted Cruz que, assim como na Carolina do Sul, devem travar disputa apertada pela segunda posição

O Estado de S. Paulo

23 de fevereiro de 2016 | 10h30

LAS VEGAS - A corrida republicana para a indicação presidencial nos Estados Unidos, já transformada em praticamente uma disputa entre Donald Trump, Marco Rubio e Ted Cruz, continua nesta terça-feira, 23, com o caucus de Nevada, onde o multimilionário nova-iorquino parte com vantagem nas pesquisas.

O levantamento mais recente, feito pela CNN/ORC em meados de fevereiro, dá um arrasador apoio de 45% a Trump, seguido por 19% para Rubio e 17% para Cruz para esta votação, a última antes da Super Terça, no dia 1º, quando 11 estados votarão nas primárias.

Ainda em Nevada, o neurocirurgião aposentado Ben Carson obteria 7% dos votos, enquanto o governador de Ohio, John Kasich, alcançaria 5%. O ex-governador da Flórida Jeb Bush, que abandonou a campanha após seu novo desastre na Carolina do Sul, não chegava a 1% dos votos. Entre os consultados, 41% indicaram que ainda não tinham decidido em quem voltar.

Outra pesquisa, realizada pela Gravis Marketing, também situa Trump como líder com 39% dos votos, na frente de Cruz (23%) e Rubio (19%).

Diante de tal situação, o Comitê Nacional Republicano já adiantou que, apesar das diferenças que mantiveram nas últimas semanas, apoiará Trump caso finalmente seja a indicação presidencial do partido. "Apoiaremos quem for escolhido", afirmou Reince Priebus, presidente do Comitê, em entrevista à emissora ABC.

O caucus (assembleias populares) de Nevada ocorrem após as primárias na Carolina do Sul, onde Trump reforçou suas chances com a segunda vitória consecutiva (33% de apoio, contra 23% de Rubio) após ter se imposto também com contundência em New Hampshire.

A anterior e primeira reunião eleitoral do ano, o caucus de Iowa, terminou com uma ajustada vitória de Cruz sobre Trump (27,7% contra 24,3%). Rubio até agora não conseguiu se impor em nenhuma das três votações primárias, mas se mantém como candidato, com uma maior sintonia com o motor do partido, em representação de sua ala mais moderada.

"A Carolina do Sul proporcionou clareza", afirmou à NBC Alfonso Aguilar, do grupo conservador American Principles Project's Latino Partnership. "Devemos fechar em torno de Marco Rubio e apoiá-lo. É um bom conservador, atrai independentes e eleitores latinos porque é instrutivo em matéria de imigração. Se for nomeado, pode vencer Hillary Clinton", acrescentou Aguilar, que foi diretor do escritório de Cidadania e Serviços de Imigração (USCIS) no governo de George W. Bush (2001-2009).

Os especialistas esperam que cerca de 40 mil republicanos compareçam às urnas na terça-feira. Em 2012, participaram 33 mil eleitores, números fracos se comparado com os 182 mil eleitores nos caucus republicanos de Iowa, um estado similar quanto à população.

Para a reunião, foram preparados 130 locais - escolas e centros comunitários, em geral - para realizar as votações nas mais de 1,7 mil zonas eleitorais distribuídas pelos 17 condados do Estado.

Estão em jogo 30 delegados para a convenção nacional republicana de Cleveland (Ohio) que serão distribuídos proporcionalmente com base nos resultados dos candidatos. Para receber a indicação do partido, o candidato precisa reunir pelo menos 1.237 delegados em todo o país. Em 2008 e 2012, Mitt Romney venceu no caucus republicanos de Nevada. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.