Trump e Obama expressam apoio a mexicanos após violento tremor no país

Atual presidente foi duramente criticado após demorar seis dias para manifestar qualquer tipo de mensagem ao governo mexicano depois do tremor de magnitude 8,2 na escala Richter do dia 8

O Estado de S.Paulo

19 Setembro 2017 | 17h55

NOVA YORK - O presidente americano, Donald Trump, expressou pelo Twitter seu apoio aos mexicanos menos de duas horas após o violento terremoto sacudir a capital do país.  "Que Deus abençoe o povo do México. Estamos com vocês e estaremos aqui para ajudá-los", expressou Trump, cujas relações com o país são péssimas. 

 

No final da noite, o ex-presidente Barack Obama também se posicionou. "Pensando em nossos  vizinhos no México em todos os nosssos amigos americanos-mexicanos". Ele também escreveu uma mensagem em espanhol. "Cuidem-se bem, e um forte abraço".

 

 

O atual vice-presidente dos EUA, Mike Pence, também se manifestou. "Nossos corações estão com o povo da Cidade do México. Nossos pensamentos estão com vocês e, como disse o presidente, estamos com vocês", afirmou Pence, também pelo Twitter. 

Trump foi duramente criticado recentemente após demorar seis dias para manifestar qualquer tipo de mensagem ao governo mexicano depois do tremor de magnitude 8,2 na escala Richter, que também sacudiu parte da América Central e deixou seis dezenas de mortos.

Quase uma semana depois, o bilionário telefonou para o presidente mexicano, Enrique Penã Nieto, para oferecer condolências. Ele deu uma curiosa desculpa para sua manifestação tardia: problemas de recepção no telefone celular do líder mexicano. 

"Acabo de falar com o presidente do México e, como vocês sabe, tem sido impossível localizá-o porque estava nas montanhas onde houve o terremoto e não havia celular", afirmou Trump. / AP e EFE  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.