Kevin Lamarque/Reuters
Kevin Lamarque/Reuters

Trump e Obama viajam à Flórida para tentar definir disputa eleitoral

O atual presidente estará amanhã em Fort Myers (sudoeste da Flórida) e no próximo sábado em Pensacola (noroeste), enquanto o ex-presidente é esperado na sexta-feira em Miami

O Estado de S.Paulo

30 de outubro de 2018 | 16h06

MIAMI - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e seu antecessor, Barack Obama, participarão nesta semana de atos eleitorais na Flórida, Estado onde o resultado das eleições de meio de mandato, no dia 6 de novembro, não está decidido, embora os democratas levem uma leve dianteira.

Trump estará amanhã, 31, em Fort Myers (sudoeste da Flórida) e no próximo sábado em Pensacola (noroeste), enquanto Obama é esperado na sexta-feira em Miami, de acordo com informação das campanhas dos candidatos republicanos e democratas.

Faltando uma semana para os pleitos, uma pesquisa divulgada hoje joga luz sobre como vai a corrida pelo governo e por um posto no Senado federal, os dois cargos mais importantes que estão em jogo neste Estado.

Segundo a pesquisa da Universidade da Flórida Nortista (UNF), que tem uma margem de erro de três pontos para mais ou para menos, 49% dos prováveis eleitores se inclinam pelo democrata Andrew Gillum para o posto de governador, 43% pelo republicano Ron DeSantis e 7% ainda estão indecisos.

Descontada a margem de erro, seriam três pontos de vantagem para Gillum, prefeito de Tallahassee, capital da Flórida, e primeiro afro-americano que concorre pelo governo neste Estado. 

Gillum conta com o apoio de Obama e DeSantis, um advogado que combateu no Iraque e se apresenta na propaganda eleitoral como um "guerreiro conservador", com o de Trump.

A mesma pesquisa, realizada por telefone entre os dias 23 e 26 de outubro com 1.176 prováveis eleitores, mostra que os dois candidatos ao posto de senador pela Flórida, o democrata Bill Nelson, que busca a reeleição, e o republicano Rick Scott, atual governador da Flórida, seguem em empate técnico.

Segundo essa pesquisa, 47% das intenções de voto são para Nelson e 46% para Scott, com a mesma margem de erro de três pontos para mais ou para menos. Também neste caso há 7% de indecisos.

A pesquisa mostra também que 45% dos prováveis eleitores aprovam a gestão de Trump como presidente, 51% a desaprovam e 4% não sabem responder.

"Quase três milhões de pessoas já votaram (na Flórida) e Gillum está claramente liderando a corrida pelo governo. A disputa entre Nelson e Scott está igualada e os poucos eleitores indecisos que restam vão exercer um papel importante no resultado", afirmou Michael Binder, diretor do Laboratório de Pesquisa de Opinião Pública da UNF. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.