Spencer Platt/Getty Images/AFP
Spencer Platt/Getty Images/AFP

Trump é recebido com protestos de imigrantes em Nova York

Manifestantes em Patchogue receberam o republicano que lidera pesquisas no Estado com cartazes 'contra o ódio' promovido pelo magnata; Trump foi alvo de outro protesto em Manhattan

O Estado de S. Paulo

15 Abril 2016 | 12h07

NOVA YORK - O pré-candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, foi recebido na quinta-feira, 14, com protestos em Nova York, onde continua com sua campanha para as primárias da próxima terça-feira.

Trump, que segue liderando as intenções de voto entre os republicanos, foi a um evento de arrecadação de fundos para os candidatos do condado de Suffolk, no estado de Nova York, onde prometeu trazer empregos para esta cidade.

Ali, o magnata nova-iorquino lançou críticas contra os políticos que, segundo sua opinião, não fizeram nada para evitar que empresas como a Ford e outras tenham se transferido ao México. O pré-candidato mencionou os 1,4 mil trabalhadores da companhia de ar condicionado Carrier que serão despedidos nos próximos três anos, a partir de 2017, sobre os quais disse que são "boas pessoas".

Trump foi recebido na cidade de Patchogue, em Long Island, por um eufórico público de mais de mil pessoas que, momentos antes de sua chegada, gritavam "USA, USA" e que pagaram entre US$ 150 e US$ 1 mil para estar no evento.

Enquanto isso, perto dali, um grupo formado em sua maioria por imigrantes se manifestava contra sua visita a Patchogue, onde em 2008 foi assassinado o equatoriano Marcelo Luzeiro por um grupo de jovens brancos.

Durante a investigação ficou constatado que os jovens tinham o hábito de atacar imigrantes e que a polícia não tinha dado devida atenção às denúncias.

De acordo com os manifestantes, que levavam cartazes com mensagens como "Trump promove o ódio" e "Vergonha de Trump", o candidato dividiu o país com sua retórica contra os imigrantes.

Posteriormente, Trump foi recebido com outro protesto em Manhattan, onde participou de um jantar de gala do Partido Republicano com um custo de US$ 1 mil por prato.

Em uma página de Facebook, mais de 1,5 mil pessoas confirmaram sua presença para comparecer ao protesto, no qual estavam presentes os principais sindicatos, assim como vários imigrantes, incluindo latinos, negros e muçulmanos.

O tumulto fez com que as ruas próximas à Central Station de Nova York ficassem fechadas e os motoristas tivessem problemas para deslocar-se a seus lares, uma vez que o protesto coincidiu com o fim do horário comercial. / EFE

Mais conteúdo sobre:
EUA Donald Trump Partido Republicano

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.