South Korea Unification Ministry/Yonhap via AP
South Korea Unification Ministry/Yonhap via AP

Trump elogia possível diálogo entre Coreias, 'resultado de sua firmeza' com Pyongyang

Em mensagem publicada no Twitter, presidente americano diz que 'conversações são uma coisa boa', mas que não teriam chance de ocorrer se ele não tivesse se mostrado 'pronto para comprometer todo o poderio (militar dos EUA) contra a Coreia do Norte'

O Estado de S.Paulo

04 Janeiro 2018 | 11h33

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta quinta-feira, 4, que as conversações entre a Coreia do Sul e a Coreia do Norte são uma coisa boa, acrescentando que são resultado de sua firmeza ao enfrentar Pyongyang.

Ativistas protestam contra Twitter por não remover conta de Trump após ameaças à Coreia do Norte

"Com todos esses 'experts' falidos que dão sua opinião, alguém realmente acredita que essas conversas e um diálogo teriam lugar entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul se eu não tivesse sido firme, forte, e estive pronto para comprometer todo nosso poderio contra o Norte?", escreveu no Twitter.

"Tolos, mas as conversações são uma coisa boa", acrescentou o presidente americano.

Há dois dias, a embaixadora americana na ONU, Nikki Haley, se mostrou muito mais reticente em relação ao diálogo entre Seul e Pyongyang, dizendo que esta conversação corria o risco de ser um "simples remendo" se não incluir a questão da proibição de "todas as armas nucleares na Coreia do Norte".

Pyongyang multiplicou ao longo de 2017 seus testes de mísseis balísticos - três deles supostamente intercontinentais - e conduziu seu sexto e mais poderoso teste nuclear, em setembro. Em resposta, o Conselho de Segurança da ONU impôs múltiplas sanções contra o regime de Kim Jong-un.

No começo deste ano, no entanto, os norte-coreanos apresentaram um tom diferente, com aparente interesse em reduzir da tensão na península coreana.

Para premiê, Japão enfrenta maior perigo desde a 2.ª Guerra por ameaças de Pyongyang

As duas Coreias reabriram um canal de comunicação por telefone que estava fechado desde 2016 depois que Kim mencionou em seu discurso de ano-novo a possibilidade de seu país participar dos Jogos Olímpicos de Inverno, em fevereiro, na cidade sul-coreana de Pyeongchang.

Seul respondeu a esta abertura sobre o  tema olímpico propondo manter conversas de alto nível com o vizinho do dia 9, as primeiras que seriam realizadas desde 2015. / AFP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.