EFE/Justin Lane
EFE/Justin Lane

Trump lidera pesquisa entre republicanos na disputa pela Casa Branca

Segundo a sondagem, o magnata tem quase o dobro de distância de seu rival mais próximo, o governador de Wisconsin, Scott Walker; apoio diminui após comentários sobre John McCain

O Estado de S. Paulo

20 de julho de 2015 | 21h15

WASHINGTON - O magnata Donald Trump registrou um forte aumento de apoio e lidera entre os pré-candidatos presidenciais republicanos com quase o dobro de distância de seu rival mais próximo, segundo uma pesquisa divulgada nesta segunda-feira, 20. 

A pesquisa, realizada pela rede de televisão ABC e o jornal The Washington Post, indica que Trump é o candidato favorito para 24% dos eleitores republicanos registrados e dos independentes que se inclinam por um candidato republicano.

O segundo entre os favoritos é o governador de Wisconsin, Scott Walker, que anunciou sua candidatura há uma semana e conta com 13% de respaldo, seguido de perto pelo ex-governador da Flórida, Jeb Bush, com 12%, segundo a enquete.  

O apoio com que conta Trump, que se multiplicou por seis desde que anunciou suas aspirações presidenciais em maio, é o maior obtido por um pré-candidato republicano nas pesquisas realizadas pela ABC e pelo The Washington Post, e sua diferença para seus rivais também é a maior, segundo estes meios.

No entanto, segundo a pesquisa realizada entre quinta-feira e domingo da semana passada com ligações telefônicas ao acaso entre mil adultos, mostra uma diminuição do apoio a Trump depois que, no sábado, o magnata criticou o senador John McCain.

Sobre McCain, veterano do Vietnã e ex-candidato presidencial republicano em 2008, Trump disse que é um "perdedor" e, além disso, pôs em dúvida que seja um herói de guerra por ter sido capturado.

Segundo a pesquisa, o apoio a Trump caiu fortemente na noite em que os eleitores foram indagados depois que fizesse essas críticas a McCain, também rechaçadas por outros pré-candidatos republicanos como o senador Lindsey Graham, o ex-governador do Texas, Rick Perry, e Jeb Bush.

"Apesar do tamanho da amostra para o último dia ser pequena, o descenso foi estatisticamente significativo", ressaltou o jornal, que disse que, no entanto, "é difícil prever o que teria acontecido com o apoio a Trump nos dias e semanas seguintes à medida que a controvérsia se desenvolvia".

Trump foi objeto de uma controvérsia depois que no dia 16 de junho, quando anunciou sua campanha presidencial, lançou duras críticas contra os imigrantes mexicanos e propôs que eles pagassem por um "grande muro" na fronteira sul com o México. 

A pesquisa destaca ainda que o apoio ao governador a  Walker é maior entre os indagados que se declaram "muito conservadores".

Entre os pré-candidatos democratas, a ex-secretária de Estado, Hillary Clinton, mantém uma clara vantagem com 68% de apoio entre os democratas e os independentes que se inclinam por votar em democratas, seguida pelo senador Bernie Sanders, com 16%.

Atrás deles, e com grande distância, aparecem o ex-senador pela Virgínia, Jim Webb, com um respaldo de 5%, e o ex-governador de Maryland, Martin O'Malley, com 2%. A margem de erro da pesquisa é de 3,5%. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
EUAeleições nos EUADonald Trump

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.