Nicholas Kamm / AFP
Nicholas Kamm / AFP

Trump e Macron negam que presidente francês foi designado pelo G-7 para dialogar com Irã

Informação de diplomatas franceses foi desmentida por Trump e pelo próprio Macron; objetivo é manter acordo nuclear firmado com país islâmico

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de agosto de 2019 | 08h21

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, negou que os países do G-7 solicitaram ao presidente francês, Emmanuel Macron, que ele iniciasse um diálogo com o Irã em nome do grupo em relação ao acordo militar com o país islâmico. "Eu não discuti isso. Eu não fiz isso", respondeu Trump à imprensa internacional após café da manhã da cúpula do G-7 neste domingo, 25.

Logo após, Emmanuel Macron disse que não tem "mandato formal do G7" para lidar com o Irã e que cada país "continuará atuando de acordo com seu papel". "O G7 é um clube informal, não dá um mandato formal a um ou outro", disse Macron

O esclarecimento veio após diplomatas franceses anunciarem que os países do G-7 solicitaram a Macron que "dirija uma mensagem ao Irã" sobre o acordo nuclear, que corre risco de desaparecer após a decisão dos Estados Unidos de abandoná-lo em 2018.

"Eu também apoio a tentativa do primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe de conversar com o Irã. Nós também vamos fazer uma abordagem, mas você não pode impedir as pessoas de falarem. Quem quiser falar, falará", disse o presidente Trump.

O Irã foi uma das questões que Trump e Macron discutiram durante um longo almoço no último sábado, 24. De acordo com o Palácio do Eliseu, sede do governo francês, o objetivo era reduzir a tensão com o Irã e permitir que o país islâmico possa exportar petróleo em troca do seu retorno ao pacto nuclear./AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.