SAUL LOEB / AFP
SAUL LOEB / AFP

Trump ofende deputadas democratas com tuíte racista

Presidente americano afirmou em sua conta no Twitter que representantes democratas progressistas deveriam 'retornar e ajudar a consertar os lugares quebrados e infestados de crimes de onde vieram'

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de julho de 2019 | 20h08

WASHINGTON - O presidente americano, Donald Trump, usou sua conta no Twitter neste domingo, 14, para ofender parlamentares democratas de origem estrangeira e dizer que deveriam retornar a seus países, o que gerou críticas imediatas e o fez ser chamado de racista e xenófobo. 

Esta é a mais recente de uma série de declarações polêmicas de Trump, que inclui a de janeiro de 2018, quando ele chamou as nações centro-americanas, Haiti e El Salvador, de "países de merda" durante uma discussão sobre imigração.

Em seu tuíte, Trump não citou especificamente nenhuma congressista, mas sua menção às "representantes democratas progressistas" foi interpretada como uma referência a um grupo de mulheres liberais mais jovens que integram pela primeira vez a Câmara dos Deputados, entre elas Alexandria Ocasio-Cortez, de Nova York; Ilhan Omar, de Minnesota; e Rashida Tlaib, do Michigan.

Ocasio-Cortez é nascida nos EUA, mas de origem porto-riquenha, enquanto Tlaib tem raízes palestinas e Omar nasceu em Mogadíscio antes de chegar como refugiada a território americano junto com sua família.

"É tão interessante ver mulheres democratas 'progressistas' no Congresso, que vieram originalmente de países cujos governos são uma catástrofe total e completa, os piores, mais corruptos e ineptos em qualquer lugar do mundo (se é que já tiveram um governo em funcionamento), dizendo agora alto e cruelmente ao povo dos EUA, a maior e mais poderosa nação da Terra, como nosso governo deve ser administrado", escreveu o republicano.

"Por que eles não voltam e ajudam a consertar os lugares totalmente quebrados e infestados de crime de onde vieram? Então voltem e nos mostrem como se faz. Esses lugares precisam muito de sua ajuda (...). Tenho certeza de que Nancy Pelosi ficaria muito feliz em agilizar rapidamente viagens gratuitas!", acrescentou.

"É um tuíte racista", afirmou ao canal Fox News o representante democrata Ben Ray Luján, parlamentar de origem latina que ocupa o cargo de mais alto escalão no Congresso. "São cidadãos americanos escolhidos por eleitores neste país", assinalou.

A líder da Câmara dos Deputados e democrata Nancy Pelosi fez uma crítica em sua conta no Twitter: "Rejeito os comentários xenófobos de @realDonaldTrump, que tentam dividir nossa nação." Segundo Pelosi, os comentários reafirmam que "seu plano para fazer com que a América seja grande outra vez sempre foram sobre fazer com que a América volte a ser branca."

A reação de Ocasio-Cortez aos comentários de Trump também não demorou a chegar ao Twitter: "Senhor presidente, o país do qual 'venho', e o país ao qual todos (os legisladores) juramos servir, são os Estados Unidos".

"Mas dada a maneira como o senhor destruiu nossa fronteira com acampamentos desumanos (de migrantes), tudo para seu próprio benefício e para os grupos que se beneficiam deles, o senhor está absolutamente certo sobre a corrupção que há em seus pés", completou a congressista.

O grupo de direitos civis muçulmanos com sede em Washington Council on American-Islamic Relations rejeitou o tuíte de Trump: "É triste ver o ocupante do Salão Oval passar de (mensagens de) empoderamento para incentivar insultos raciais ao usá-los ele mesmo." / AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.