Samuel Corum/Getty Images/AFP
Samuel Corum/Getty Images/AFP

Trump pede a seus seguidores para 'reverter' os resultados das eleições nos EUA

Presidente republicano participou, por telefone, de encontro com partidários na Pensilvânia e afirmou que eles foram 'manipulados' para garantir a vitória de Joe Biden

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de novembro de 2020 | 17h35

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse a seus apoiadores nesta quarta-feira, 25, que eles devem trabalhar para derrubar os resultados da eleição de 3 de novembro, alegando que foram "manipulados" para garantir a vitória do democrata Joe Biden.

"Temos de reverter a eleição", disse Trump durante um telefonema para apoiadores republicanos na Pensilvânia. "Esta eleição foi fraudada", disse ele, repetindo várias teorias da conspiração que foram rejeitadas em tribunais de todo o país.

Seu advogado, Rudy Giuliani, e outros membros de sua equipe jurídica estavam em uma reunião com senadores estaduais republicanos da Pensilvânia na cidade de Gettysburg. Nela, eles expressaram queixas sobre a eleição e repetidas alegações de má-fé democrata que já se desintegraram nos tribunais.

Em um momento, Trump, do Salão Oval, passou a falar na reunião pelo viva-voz do celular da conselheira jurídica de sua campanha, Jenna Ellis, afirmando ter vencido as eleições. "Ganhamos por muito", disse ele.

Na verdade, a eleição deu a Biden um claro mandato e nenhuma fraude sistêmica foi descoberta. Os esforços legais de Trump para contestar os procedimentos de votação na Pensilvânia, Michigan e outros Estados foram rejeitados ou os processos, retirados. 

Sua campanha não produziu evidências para apoiar as alegações de fraude eleitoral generalizada, embora continue a fazê-lo nos tribunais. 

Na audiência, Giuliani disse que Trump possivelmente ganhou o estado da Virgínia. De acordo com a contagem de votos do Estado, Trump perdeu para Biden na Virgínia por mais de 10 pontos porcentuais e mais de 450 mil votos. /AFP e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.