AP Photo/Evan Vucci
AP Photo/Evan Vucci

Trump: Irã não respeitou 'espírito' do acordo nuclear

Presidente tem até 15 de outubro para comunicar ao Congresso americano se o Irã respeitou o acordo

O Estado de S.Paulo

05 Outubro 2017 | 19h15

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta quinta-feira, 5, que o Irã não cumpriu o "espírito" do acordo assinado em 2015 com outros seis países sobre seu controverso programa nuclear. 

"Eles não cumpriram o espírito do acordo", disse o presidente, que tem até 15 de outubro para comunicar formalmente ao Congresso americano se está em condições de certificar que o Irã respeitou o acordo. 

Segundo informações divulgadas nesta quinta-feira pelo jornal The Washington Post e pela emissora CNN, que citam como fontes funcionários da Casa Branca, Trump planeja retirar a "certidão governamental" que diz que o pacto, firmado em 2015 com Reino Unido, França, China, Rússia e Alemanha, é de "interesse nacional" dos EUA.

+ Infográfico: A negociação nuclear com o Irã

A medida não representa a saída do acordo, mas pode ser um primeiro passo nesse sentido. O anúncio oficial deve ser feito por Trump em um discurso sobre a estratégia dos EUA para o Irã programado para ocorrer na próxima quinta-feira, 12, segundo o Post.

Trump deve informar ao Congresso antes do dia 15 de outubro se o Irã está cumprindo com suas obrigações no pacto multilateral e se seguir no acordo é de interesse dos EUA. Os assessores do presidente chegaram à conclusão de que ele deve anunciar que a segunda condição não mais está sendo atendida.

Essa indicação abriria um prazo de 60 dias para o Congresso dos EUA revisar o acordo. Os congressistas deverão então considerar os "próximos passos" a serem tomados em relação o pacto, o que inclui a possível imposição de sanções ao Irã.

No entanto, Trump não recomendará por enquanto que os congressistas restabeleçam as sanções contra a República Islâmica. A Casa Branca quer que o Congresso modifique e reforce o acordo pela via legislativa, uma opção que muitos consideram difícil ou quase impossível, segundo o jornal.

Irã qualifica novas sançõoes dos EUA como violação do acordo nuclear

No fim de setembro, o secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, afirmou que Trump quer renegociar o acordo nuclear com o Irã para corrigir seus defeitos. Além disso, o presidente quer convencer os demais países de que o pacto precisa ser revisado.

Entre outras coisas, segundo Tillerson, Trump quer eliminar os prazos de 10 e 25 anos estabelecidos no acordo nuclear. Depois desses períodos, algumas das restrições impostas sobre o Irã serão eliminadas e outras sanções internacionais encerradas.

O governo do Irã, no entanto, fechou as portas para qualquer renegociação do acordo. Uma revisão também não parece empolgar os outros países envolvidos no pacto nuclear.

A porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, confirmou que Trump fará nos próximos dias um anúncio sobre a estratégia desenvolvida para o Irã e o acordo nuclear. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.