Doug Mills/The New York Times
Doug Mills/The New York Times

Trump pressiona Justiça a descobrir autor de editorial em jornal

Presidente ignora independência do Judiciário ao pedir uma investigação e qualifica texto crítico a seu governo de ‘caso de segurança nacional’; jornal diz que ameaças do chefe de Estado são lembrete da importância de uma imprensa livre

Beatriz Bulla, CORRESPONDENTE / WASHINGTON, O Estado de S.Paulo

07 Setembro 2018 | 21h10

Ainda incomodado com o editorial anônimo publicado no New York Times, o presidente Donald Trump pressionou o Departamento de Justiça nesta sexta-feira, 7, e disse que o secretário de Justiça, Jeff Sessions, deveria iniciar uma investigação formal para revelar a fonte do texto, alegando se tratar de um caso de “segurança nacional”.

O NYT reagiu afirmando que uma investigação desse tipo constituirá “abuso de poder”, já que o Departamento de Justiça é um órgão independente. “Estamos confiantes de que o Departamento de Justiça entende que a 1.ª Emenda protege os cidadãos americanos e não participaria de um abuso tão flagrante do poder”, escreveu o jornal. “As ameaças do presidente mostram porque devemos salvaguardar a identidade do autor desse editorial e servem como um lembrete da importância de uma imprensa livre e independente para a democracia.”

O artigo anônimo foi escrito por um funcionário de alto escalão do governo Trump e fala sobre uma “resistência silenciosa” na Casa Branca, que trabalha para “frustrar parte da agenda de Trump e suas piores inclinações” e “limitar os danos da presidência”. O texto foi publicado na mesma semana em que trechos do novo livro do jornalista Bob Woodward mostraram os bastidores da equipe do presidente.

Especialistas dizem que não há nenhuma razão para Trump pressionar o Departamento de Justiça. “O trabalho do departamento é investigar crimes”, disse ao Washington Post Stephen I. Vladeck, professor de Direito na Universidade do Texas. “Não há nenhum contexto no qual esse tipo de artigo possa ser considerado um crime federal. Todos concordam que se o autor for encontrado ele pode ser demitido, mas devemos ser cuidadosos com a linha sobre coisas que podem levar à demissão e coisas que podem levar o presidente a apelar à Justiça”, acrescentou o especialista.

Aos jornalistas a bordo do Air Force One, Trump também disse que considera uma ação legal contra o New York Times, sem detalhar o que poderia ser feito. Trump exemplificou a necessidade de que se revele a fonte ao dizer a jornalistas que não quer o autor anônimo presente em reuniões de alto nível sobre China, Rússia ou Coreia do Norte, por exemplo.

Desde a publicação do texto, uma série de especulações sobre o autor do artigo ocupou os noticiários de Washington. O editor do New York Times, James Dao, afirmou que a linguagem usada no texto pode revelar a identidade de quem o escreveu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.