Sarah Silbiger/The New York Times
Sarah Silbiger/The New York Times

Trump propõe a Cuba uma nova abertura econômica se país retirar o apoio a Maduro

Presidente dos EUA também reiterou ameaça de que, caso sua vontade não seja cumprida, irá impor “embargo total” à ilha

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de maio de 2019 | 04h58

Washington - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, propôs nesta quarta-feira, 1º,  uma abertura a Cuba se a ilha retirar seu apoio ao líder venezuelano, Nicolás Maduro. Caso sua vontade não seja cumprida, o líder norte-americano reitera suas ameaças de um maior bloqueio econômico e ainda mais sanções ao país.

"Com o movimento certo, Cuba poderia se sair muito bem, poderíamos fazer uma abertura", afirmou Trump em entrevista à emissora Fox Business, onde também advertiu que os EUA endurecerão sua posição contra Cuba "se não deixarem a Venezuela".

Trump assegurou que um "embargo muito duro" aguarda Cuba se continuar apoiando Maduro e disse que sua aplicação "dependerá do que acontecer". "Se as tropas e milícias cubanas não cessarem imediatamente suas operações militares e outras com o objetivo de causar a morte e a destruição da Constituição da Venezuela, um embargo total será imposto à ilha de Cuba, juntamente com sanções do mais alto nível", disse.

O governo dos EUA acredita que na Venezuela existem cerca de 25 mil cubanos que supostamente atuam dentro da inteligência e da estrutura militar do país caribenho, algo que Cuba negou ao acusar Washington de "mentir descaradamente".

Segundo os Estados Unidos, se Maduro ainda está no poder, é graças, em parte, a esse apoio de Havana. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.