JEWEL SAMAD/AFP
JEWEL SAMAD/AFP

Trump propõe legalizar 1,8 milhão de jovens imigrantes

Proposta, que será enviada ao Senado na segunda-feira, também prevê financiamento de US$ 25 bilhões para a construção do muro

O Estado de S.Paulo

25 Janeiro 2018 | 22h38

WASHINGTON - A proposta sobre imigração que o presidente americano, Donald Trump, enviará ao Congresso prevê a legalização de 1,8 milhão de imigrantes que chegaram aos EUA ainda crianças. Esse número representa mais que o dobro dos chamados “dreamers” (sonhadores) beneficiados pelo programa Daca, que Trump quer extinguir.

Em troca, a Casa Branca exige financiamento para a construção do muro na fronteira com o México, o fim da imigração familiar e o endurecimento da repressão aos imigrantes ilegais que ficarem nos EUA. O presidente acredita que medida represente uma concessão significativa aos democratas, mas muitos já se opuseram à proposta – incluindo republicanos. 

O plano de Trump, que será formalmente enviado ao Senado na segunda-feira, inclui um fundo de US$ 25 bilhões para a construção do muro, uma de suas promessas de campanha, além de segurança adicional nas fronteiras.

+ Para entender: Daca, o programa migratório de Obama que foi suspenso por Trump

O presidente americano também propõe mudanças nos meios de imigração legais, restringindo os pedidos de vistos somente para mulheres e filhos, acabando com a categoria para outros parentes. Essas duas medidas devem atrair objeções dos democratas mais liberais.

Funcionários de alto escalão da Casa Branca, que falaram sobre as propostas à imprensa, descreveram o plano como um amplo compromisso para romper o impasse sobre imigração no Congresso sobre o futuro dos 690 mil jovens imigrantes beneficiados pelo programa Daca, que expira no dia 5 de março.

Os funcionários acreditam que o plano enviado ao Senado seja aprovado até o dia 6, dois dias antes do prazo para a aprovação de mais uma lei orçamentária. No entanto, muitos democratas e alguns republicanos disseram que não aprovariam um orçamento de longo prazo sem um acordo a respeito dos “dreamers”.

O deputado republicano Luis Gutierrez, de Illinois, qualificou o fundo para a construção do muro de pagamento de um “resgate para os dreamers” e advertiu que o plano não será aprovado. Os detalhes do texto foram divulgados um dia após Trump dizer a repórteres que ele estaria aberto a um acordo de imigração que incluísse a legalização dos jovens imigrantes.

Inicialmente, Trump e seus aliados indicaram que a cidadania seria limitada aos 690 mil imigrantes atualmente beneficiados pelo programa Daca. No entanto, funcionários da Casa Branca disseram nesta quinta-feira que o caminho da cidadania poderia ser aberto para qualquer pessoa elegível ao Daca – por isso no número total de legalizados chegaria a 1,8 milhão. 

A maior ameaça à proposta, no entanto, é um possível acordo entre um grupo de senadores moderados, republicanos e democratas, que poderia deixar o presidente falando sozinho. O acordo já teria o apoio de cerca de 40 senadores. Se chegar a 60, eles seriam capazes de derrubar qualquer veto de Trump. / W. POST

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.