REUTERS/Jonathan Ernst
REUTERS/Jonathan Ernst

Trump qualifica ex-diretor do FBI de ‘vazador’ após depoimento ao Congresso

Em audiência na Comissão de Inteligência do Senado, James Comey acusou o presidente americano de tentar impedir uma investigação sobre seu ex-assessor de Segurança Nacional Michael Flynn

O Estado de S.Paulo

09 de junho de 2017 | 13h12

WASHINGTON - O presidente dos EUA, Donald Trump, qualificou o ex-diretor do FBI James Comey de "vazador" nesta sexta-feira, 9. Na véspera, ele acusou o magnata, em um depoimento à Comissão de Inteligência do Senado, de tentar frear uma investigação e de mentir.

"Apesar de tantas afirmações falsas e mentiras, vingança total e completa e uau, Comey é um vazador!", disse Trump em sua conta no Twitter no início da manhã.

Trump rompeu o silêncio a respeito do depoimento de Comey com um único tuíte que ecoou os argumentos mencionados por seu advogado particular após a fala de Comey: o presidente em si não está sob investigação.

O ex-diretor do FBI forneceu um relato da conversa dos dois a um amigo advogado que o compartilhou com um veículo de imprensa. Trump não afirmou que Comey mentiu sob juramento na audiência, que ocorreu um mês depois de o presidente demiti-lo no dia 9 de maio.

Comey pintou um retrato degradante de seu ex-chefe, acusando-o de tentar impedir uma investigação sobre seu ex-assessor de Segurança Nacional Michael Flynn. Ele também disse que a Casa Branca difamou o FBI e ele mesmo ao tentar explicar sua demissão.

O ex-chefe do FBI afirmou à Comissão do Senado que tomou notas meticulosas de cada encontro e conversa que teve com Trump porque "honestamente, estava temeroso de que ele pudesse mentir a respeito da natureza de nosso encontro, e por isso pensei ser realmente importante documentar". / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.