Alex Brandon / AP
Alex Brandon / AP

Trump quer ouvir mulher que acusa juiz de abuso sexual nos EUA

Mulher acusa Brett Kavanaugh, juiz indicado por Trump para assumir cadeira na Suprema Corte, de tentar violentá-la; as acusações colocaram em risco a aprovação do seu nome pelo Comitê de Justiça do Senado

O Estado de S.Paulo

19 Setembro 2018 | 20h32

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta quarta-feira, 19, que gostaria de ouvir o depoimento da professora universitária Christine Blasey Ford, que acusa de agressão sexual o juiz Brett Kavanaugh, seu indicado à Suprema Corte. “Quero muito ouvi-la. Quero mesmo ouvir o que ela tem para dizer”, disse Trump aos jornalistas pouco antes de visitar para as áreas afetadas pelo furacão Florence. “Se ela testemunhar e for aceitável, teremos de tomar uma decisão.”

Christine Blasey Ford afirma que Kavanaugh e um amigo – ambos bêbados – a encurralaram em um quarto e tentaram tirar sua roupa e tocá-la a força, nos anos 80, quando ela tinha 15 anos e ele 17, em uma festa no subúrbio de Washington. Kavanaugh nega.

As acusações colocaram em risco a aprovação do nome do juiz pelo Comitê de Justiça do Senado, o que deveria ter ocorrido nesta semana. Os dois envolvidos foram convidados a prestar depoimento sobre o caso. Kavanaugh se dispôs a depor. Ford havia concordado em dar o depoimento também, mas solicitou uma investigação do FBI sobre suas acusações antes de testemunhar.

Reveja: Kavanaugh - mais um problema para Trump

Em carta enviada ao Senado, os advogados de Ford afirmam que “uma investigação completa por parte do FBI assegurará que fatos e testemunhos cruciais sejam avaliados sem partidarismo, que o comitê esteja bem informado antes de qualquer audiência ou decisão”. Os democratas concordaram, mas os republicanos asseguram que a audiência vai acontecer, mesmo que apenas Kavanaugh seja ouvido. 

Justiça. Trump disse que a sabatina de Kavanaugh tem passado dos limites. “O FBI conhece muito bem Kavanaugh, já o investigaram umas seis vezes”, afirmou Trump. “Posso dizer que ele é um homem tão extraordinário, de grande intelecto, e me custa imaginar que algo tenha ocorrido. Ele está sendo tratado de forma muito dura e é uma situação injusta para a família dele.”

Trump, reforçou nesta quarta-feira, 19, seu apoio ao juiz. “Brett Kavanaugh tem uma história impecável em todos os sentidos e trilhou muito bem seu caminho.” O presidente ressaltou ainda a importância da Suprema Corte e de seu poder de indicar membros para compor o tribunal. 

Por isso, Trump defendeu que os senadores levem o tempo necessário para decidir se Kavanaugh deve ou não ter a indicação confirmada. “Queremos que o processo acabe, mas, ao mesmo tempo, é preciso levar o tempo necessário”, afirmou o republicano. / AFP e NYT

​Reveja: Trump nomeia conservador para Suprema Corte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.