Kevin Lamarque/Reuters
Kevin Lamarque/Reuters

Trump quer que Biden faça 'teste de drogas' antes do primeiro debate

Presidente americano fez comentários semelhantes sobre Hillary Clinton em 2016; em ambos os casos, não apresentou provas

Redação, O Estado de S.Paulo

26 de agosto de 2020 | 22h00

WASHINGTON -  O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta quarta-feira, 26, que vai pedir um "teste de drogas" para ele e Joe Biden antes do primeiro debate presidencial, mas não apresentou nenhuma prova de suas suspeitas sobre seu adversário democrata. 

Trump disse em uma entrevista ao Washington Examiner que ficou intrigado com a melhora do desempenho de Biden durante as primárias democratas. 

"Vamos pedir um teste de drogas", disse Trump, expressando surpresa com a atitude do ex-vice-presidente durante o último debate contra o senador por Vermont, Bernie Sanders, em março. 

O presidente não tem evidências concretas para apoiar suas afirmações, mas, afirmou: "Tudo o que posso dizer é que sou muito bom nessas coisas. Eu o observei nos debates com diversas pessoas", disse Trump, referindo-se aos outros candidatos democratas à Presidência.

Biden era "quase um incompetente, senão incompetente, e contra Bernie ele foi normal", continuou Trump. 

"Eu digo, 'Como isso acontece?'", acrescentou. Trump fez comentários semelhantes em 2016, no auge da corrida presidencial, argumentando que a então oponente Hillary Clinton havia consumido drogas. 

"Acho que devemos fazer um teste de drogas antes do debate", disse ele durante um comício em New Hampshire. 

"Eu não sei o que está acontecendo com ela. Mas no início de seu último debate - ela estava animada no início, e no final era como, 'Oh, me leve'. Ela mal conseguiu chegar ao carro", acrescentou ele, debochado. 

O primeiro debate entre Trump e Biden está agendado para 29 de setembro. Os dois seguintes serão nos dias 15 e 22 de outubro. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.