Mark Wilson/Getty Images/AF
Mark Wilson/Getty Images/AF

Trump realoca US$ 2,5 milhões para a festa do 4 de Julho

Verba é só uma fração do que será gasto para ampliação da festa imaginada pelo presidente

Redação, O Estado de S.Paulo

03 de julho de 2019 | 21h06

O Serviço Nacional de Parques está desviando cerca de US$ 2,5 milhões do pagamento de entradas e taxas de recreação, que deveriam ser usados na melhoria dos parques em todo os EUA, para cobrir os custos de uma forma inédita de celebração do Dia da Independência, segundo revelaram duas fontes ligadas ao acerto.

Funcionários do governo de Donald Trump não dizem quanto os contribuintes deverão pagar pela ampliação da festa deste ano, que o presidente apelidou de “Saudação à América”. Trump decidiu fazer uma parada militar, depois de gostar da que viu na França. Ele citou até a Coreia do Norte como referência de desfile militar. 

O desvio da verba dos parques representa uma fração dos gastos extras com o evento desta quinta-feira, que incluirá a exibição de equipamento militar, sobrevoo de jatos, incluindo o Air Force One (o avião presidencial), assim como um show pirotécnico. Segundo o vice-diretor do Serviço Nacional de Parques, Denis Galvin, os gastos com a celebração do 4 de Julho saem normalmente em torno de US$ 2 milhões.

Para o planejado discurso de Trump no Memorial a Lincoln, a Casa Branca está distribuindo entradas VIP para os doadores republicanos e políticos escolhidos, provocando reclamações de deputados democratas, para quem o presidente está transformando a celebração anual em evento de campanha.

O Comitê Nacional Republicano e a campanha de reeleição de Trump confirmaram nesta quarta-feira que receberam os ingressos para o evento e os estavam distribuindo. “Nunca vimos algo assim”, disse o senador Tom Udall, o principal democrata no Subcomitê de Aprovações do Senado. “Nenhum evento político deveria ser pago pelos contribuintes.”

Apesar de alguns críticos questionarem o modo como a Casa Branca está restringindo o acesso ao Memorial a Lincoln, funcionários do Pentágono e do Departamento do Interior corriam nesta quarta-feira para transformar em realidade o desejo de Trump de realizar um elaborado desfile militar e um show de queima de fogos.

Dois tanques Abrams, dois veículos de combate Bradley e um veículo de recuperação de blindados M88 participarão do desfile. Funcionários do governo ainda tentavam concluir tudo o que está programado, incluindo o sobrevoo de um dos aviões da frota presidencial quando Trump subir ao palco para o discurso. / NYT

 

Tudo o que sabemos sobre:
Estados Unidos [América do Norte]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.